Cultura

Filme "O Herói" de Zezé Gambôa

Manuel Albano |

Um ciclo de cinema comunitário angolano vai decorrer todas as sextas-feiras e sábados do mês de Agosto, nas cidades de Cabinda e Lubango, numa iniciativa do Instituto Angolano de Cinema, Audiovisual e Multimédia (IACAM), em parceria com a Alliance Française de Luanda.

Um ciclo de cinema comunitário angolano vai decorrer todas as sextas-feiras e sábados do mês de Agosto, nas cidades de Cabinda e Lubango, numa iniciativa do Instituto Angolano de Cinema, Audiovisual e Multimédia (IACAM), em parceria com a Alliance Française de Luanda.
De acordo com uma nota de imprensa do IACAM, este ciclo insere-se no quadro da promoção e divulgação do cinema angolano junto das comunidades e na perspectiva promocional da IV edição do Festival Internacional de Cinema-FIC Luanda, que se realiza de 18 a 24 de Novembro.
A iniciativa arranca em Cabinda no dia 5 de Agosto, às 15h00, com um debate que será animado pelo realizador Tandu Minguyedy, seguindo-se, às 18h30, a exibição da curta-metragem “Alambamento”, do realizador Mário Basto, e da apresentação, às 20h00, da longa-metragem de ficção “Os inconformados”, de Tandu Minguyedy.
“Alambamento” relata a história de um homem que tem o “simples” sonho de ficar com a pessoa amada na complicada e mundana cidade de Luanda. “É neste burgo, onde na mesma esquina se cruzam o caos e a paz, o singelo e o feio, a corrupção e a hombridade, que Matias vai ter de lutar por aquilo que quer, com unhas e dentes. O mundo precisa de ouvir, ler, ver e sentir mais histórias africanas com novos formatos, sem terem, necessariamente, as já estigmatizadas cenas de miséria e guerras como pano de fundo (...)”, lê-se na nota do IACAM. “Os inconformados” é um filme que descreve de forma educativa o fenómeno da pandemia do VIH/Sida, entre os jovens.
A 6 de Agosto é exibido, às 16h00, o filme “O herói”, do realizador Zezé Gambôa, e às 19h00 “O lendário tio Liceu e os Ngola Ritmos”, de Jorge António. “O herói” conta a história de Vitório, um soldado de 35 anos que regressa a Luanda mutilado na explosão de uma mina. O filme venceu o prémio do júri para melhor filme dramático estrangeiro na edição de 2005, do Festival Sundance, nos Estados Unidos da América, o mais importante certame a nível mundial dedicado ao cinema independente. O filme é uma co-produção entre Angola, França e Portugal, e é o primeiro filme de ficção do realizador.
“O lendário tio Liceu e os Ngola Ritmos” é uma viagem ao universo criativo de Liceu Viera Dias, “pai” da música popular angolana e criador do grupo “N’gola Ritmos”. A originalidade do seu contributo foi permanente na história cultural e sociopolítica de Angola.
Nos dias 12 e 13 de Agosto, repete-se, em Cabinda, a mesma programação da semana anterior.

Realizador Óscar Gil anima debate na Huíla

No Lubango o ciclo realiza-se em quatro sessões de cinema, dias 19, 20, 26 e 27 de Agosto, e um debate, animado pelo realizador Óscar Gil, dia 19, às 15h00. Nesse mesmo dia, às 18h30, o cinema comunitário abre ao público com os filmes “Alambamento”, do realizador Mário Basto, e “Nos trilhos Culturais da Angola Contemporânea”, de Dias Júnior. Às 20h00, está prevista a apresentação do filme “Mbaku”, de Óscar Gil, documentário que retrata a infertilidade humana e os conflitos no meio familiar e social.
No dia 20, às 18h30, passa o filme “O herói”, de Zezé Gambôa e às 20h00 “O lendário tio Liceu e os Ngola Ritmos”, de Jorge António. À semelhança de Cabinda, repete-se a mesma programação da semana anterior nos dias 26 e 27 de Agosto.

Tempo

Multimédia