"A Guerra dos Tronos" conquista os Emmy


26 de Setembro, 2015

Fotografia: Reuters

Ao fim de seis anos, a série de aventura e um dos maiores êxitos da televisão actualmente, “A Guerra dos Tronos”, finalmente conquistou os prémios Emmy e bateu o recorde de mais estatuetas arrecadadas.

A série da HBO, que caminha para a sexta temporada, já é um fenómeno à escala global. O drama adaptado dos livros de George R.R. Martin soma nomeações todos os anos, mas no final são poucos os prémios recebidos. Porém, este ano conseguiu obter 12 estatuetas, incluindo as de melhor série dramática, realização e argumento.
Um dos destaques desta edição dos Emmy foi também Viola Davis, que se tornou na primeira afro-americana a vencer o prémio, na categoria de melhor actriz numa série dramática.
Nunca uma série tinha conquistado tantos prémios numa só gala dos Emmy. Foram 12 em 24 nomeações. O anterior recorde pertencia a “Os Homens do Presidente”, que em 2000 venceu nove estatuetas. Foi uma surpresa e a confirmação de que “A Guerra dos Tronos” não é uma série para esquecer.
A mega-produção de David Benioff e D.B. Weiss, que é transmitida em Angola no canal SyFy, da ZAP, e as primeiras temporadas no TV Séries, da ZAP e da DSTv, contribuiu também para que a HBO fizesse história. Na hora de receber os prémios, David Benioff não esqueceu o homem que está na origem de tudo: George R.R. Martin. A série é uma adaptação da fantasia histórica “As Crónicas de Gelo e Fogo”, agora mundialmente conhecida como “A Guerra dos Tronos”. “George Martin, parabéns, e obrigado por nos ter convidado a todos para o seu sonho”, afirmou o produtor.
Além dos Emmy para melhor série dramática, realização e argumento (com o episódio “Misericórdia da Mãe”), Peter Dinklage venceu o prémio de melhor actor secundário pelo seu Tyrion Lannister, que é hoje uma das personagens mais adoradas e também um dos grandes motivos de sucesso da série. “Encarna” uma personagem que já em 2011 lhe tinha valido o Emmy na mesma categoria. As restantes oito estatuetas foram conquistadas nas categorias técnicas.
“A Guerra dos Tronos” estava nomeada ao lado de “Mad Men”, “Segurança Nacional”, “House of Cards”, “Downton Abbey”, “Orange Is the New Black” e “Better Call Saul”.
Na despedida da televisão, “Mad Men” estava nomeado nas principais categorias, mas acabou por conquistar apenas um prémio. À sétima e última temporada, Jon Hamm venceu finalmente o Emmy de melhor actor numa série dramática pelo seu papel como Don Draper.
Para melhor actriz, a escolhida foi Viola Davis, tornando-se na primeira afro-americana a vencer um Emmy na categoria principal de representação numa série dramática. Ao receber a estatueta, a actriz de “Como Defender um Assassino”, série emitida em Angola pelo canal AXN, citou Harriet Tubman, uma escrava negra que se tornou uma das figuras centrais do movimento abolicionista norte-americano, para afirmar que ainda existe desigualdade em Hollywood. “A única coisa que separa as mulheres de cor de qualquer outra pessoa é a oportunidade. Não podes vencer um Emmy por papéis que simplesmente não existem”, disse.
Uzo Aduba, protagonista de “Orange Is The New Black”, foi distinguida na categoria de melhor actriz secundária e Regina King venceu na categoria de melhor actriz secundária na mini-série “American Crime”, que perdeu para “Olive Kitteridge” nas restantes categorias para que estava nomeada.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA