"Adeus Bagdade" no Festival Judaico


8 de Agosto, 2014

A cidade de São Paulo, no Brasil, acolhe desde terça-feira e até domingo o 18º Festival de Cinema Judaico, que exibe mais de 30 filmes ligados ao universo judaico, em cinco espaços da cidade mais populosa da América do Sul.


Na abertura do Festival foram exibidos os filmes “Nosso Grande Momento”, de Wolfram Paulus, e “Adeus Bagdade”, de Mehdi Naderi. O filme “Nosso Grande Momento” narra a história de dois jovens amigos, que em plena Segunda Guerra Mundial são enviados para um programa nazi para tirar as crianças alemãs das cidades bombardeadas. Quando um deles descobre que tem origem judaica, as relações tomam outro rumo.
“Adeus Bagdade” (2013) tem 105 minutos, baseado no best seller do escritor israelita Eli Amir, narrado por Kabi, um adolescente, e é falado em árabe iraquiano. O filme conta a história dos últimos anos da comunidade judaica em Bagdá antes da sua expulsão e reassentamento em Israel, na década de 1950.
O Festival vai exibir ficção e documentários, com destaque para a mostra “Com um Toque de Música”, com sete filmes sobre música.
Entre os documentários há um sobre o agente musical Shep Gordon, sobre a cantora Amy Winehouse e “Mamele”, o recém-restaurado clássico do cinema judaico de 1938, que conta com a actriz Molly Picon, na época conhecida como “a rainha do musical idiche”.
No género ficção, a programação conta com “Na Escuridão” (2011), de Agnieszka Holland, nomeado ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2012, que conta a história real de Leopold Socha, um trabalhador dos esgotos e ladrão em Lvov, ocupada pelos nazistas, na Polónia.
“Amigos da França” (2013) e “O Cardeal Judeu” (2012), baseado na história real de Jean-Marie Lustiger, judeu que se converteu ao catolicismo, também constam entre os filmes seleccionados.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA