Cultura

"Bangaologia" regressa à Polónia

Roque Silva

O documentário “Bangaologia - A Ciência do Estilo” é exibido hoje, no festival de cinema africano da Polónia, o AfryKamera, que decorre até domingo na cidade de Gdansk.

Cena do filme produzido pela Semba Comunicação e realizado por Coréon Dú que volta a ser exibido em festival de cinema na Polónia
Fotografia: DR

A longa-metragem sobre a banga de Angola e a estética africana, disponível para os apreciadores da sétima arte naquele país da Europa, é transmitida na segunda e última sessão do primeiro dia do festival.
O programa do festival inclui a exibição de filmes e outras actividades que juntam profissionais locais e de Angola, Moçambique, Egipto, Sudão, Gana, Etiópia, Quénia, Uganda, Ruanda, Burundi, Tanzânia, Zâmbia, Zimbabwe, Botswana, África do Sul, Swazilândia, África do Sul, e de países europeus.
O documentário, produzido pela Semba Comunicação e realizado por Coréon Dú, pode repetir a proeza do ano passado quando registou lotação esgotada na estreia do 32.º Festival de Cinema de Varsóvia, na capital polaca, Varsóvia. O filme também foi elogiado e aplaudido pela crítica no festival de documentários de moda Mortiz Feed Dog, realizado em Barcelona, Espanha.
“Bangaologia - A Ciência do Estilo” foi ainda exibido no dia 7, no Festival Internacional de Cinema de Harlem (Harlem International Film Festival), em Nova Iorque, como resultado do Prémio de Mérito com Distinção Especial (Award of Merit Special Mention), conquistado dos IndieFest Film Awards, este ano, em Barcelona.
O documentário concorre aos troféus de Melhor Documentário nos festivais Athens International Film & Video Festival, no ano em curso, na Grécia.
A volta pelo mundo do documentário passou  pelos festivais Athens International Film & Video Festival, em Ohio, (EUA), Copenhagen Fashion Film Festival, na Dinamarca, amboAs em Abril.
O reconhecimento da qualidade do filme valeu-lhe  competir na categoria de Melhor Documentário, no London Fashion Film Festival, realizado o ano passado no Reino Unido, competição internacional  dedicado a filmes sobre moda e tendências.
Quanto à estreia do documentário em território angolano, uma informação perseguida pelos apreciadores da moda e da sétima arte, Gregório de Sousa, da produtora Da Banda, referiu que a data está dependente da confirmação de parceiros de distribuição nacionais.

A ciência do estilo

O filme, com 85 minutos, tem a direcção de fotografia de Jorge Pelicano e traz entrevistas com algumas figuras angolanas já conhecidos nos corredores da moda internacional, com as modelos internacionais Sharam Diniz e Maria Borges, os designers Nadir Tati, Rose Palhares e Nankhova Alves e o modelo e designer guineense Armando Cabral, e do jornalista norte-americano Mickey Boardman, director editorial da revista de moda “Paper Magazine”, que esteve em Angola em 2013, por ocasião do concurso Elite Model Look Angola.  O documentário é o resultado de uma investigação sobre a maneira de vestir e estar dos angolanos, numa viagem que parte de Angola para os Estados Unidos da América  e a Europa. É uma produção que celebra o estilo, a moda e a música africanas, uma proposta na qual o realizador pretendeu partilhar, com o mundo, a forma como a sua cultura lida com o estilo e a sua constante influência nas diversas culturas criativas internacionais. “Bangaologia” provém da palavra “banga”, um termo africano  que faz referência a uma forma de vestir característica do povo de Angola, uma moda e um estilo que quanto mais extravagante, melhor, como faz questão de afirmar em várias ocasiões Coreón Dú.

Tempo

Multimédia