Cinema perde mais uma das suas estrelas


15 de Agosto, 2014

Fotografia: Reuters

A actriz norte-americana Lauren Bacall morreu quarta-feira na sua casa depois de sofrer um derrame cerebral, segundo confirmou a família.

Lauren Bacall foi nomeada para o Óscar pelo seu papel secundário em “O Espelho tem Duas Caras”, em 1997. Recebeu ainda um Óscar honorário em 2010 pela sua carreira de décadas. Contracenou em diversos filmes com Bogart, como “À Beira do Abismo”, estreado em 1946.
A actriz nasceu em Nova Iorque em 1924 e casou-se com o actor Humphrey Bogart em 1945. Depois da morte do actor, em 1957, casou-se com Jason Robards em 1961 e divorciou-se em 1969.
Conhecida por sua voz rouca e aparência sensual, a actriz, de nome próprio Betty Joan Perske, tornou-se um ícone da moda e um modelo para a mulher moderna.
Actualmente é considerada também uma actriz lendária, em parte devido à sua longevidade no mundo do cinema. A sua grande participação no universo ficcional de Hollywood começou a despontar na época do “cinema negro” e depois como comediante.
Como Betty Bacall, fez estreia como actriz nos palcos da célebre Broadway em 1942, em “Johnny Two By Four”. Naquela época, o seu ídolo era Bette Davis. Na sua autobiografia, disse que teve a oportunidade de se encontrar com Bette Davis, que a felicitou pela sua performance artística ao interpretar a personagem Margo Channing em“Applause”.
Para a história ficou a sua reacção, na cerimónia da Academia de Hollywood, realizada em Los Angeles, em 1997, no ano em que foi nomeada pelo papel de mãe da actriz e cantora Barbra Streisand, no filme em que ainda contracenava com Jeff Bridges.
Quando o nome da vencedora, Juliette Binoche, pelo filme “O Paciente Inglês”, de Anthony Minghella, foi proferido, Bacall mostrou uma atitude claramente desiludida. “Pensava que este prémio era para si, Lauren”, disse a actriz francesa Juliette Binoche em lágrimas em pleno palco do Kodak Theatre, onde aconteceu a cerimónia.
Como modelo, Lauren Bacall surgiu pela primeira vez na capa da revista especializada norte-americana “Harper’s Bazaar”, em Março de 1943, e chamou a atenção de Nancy Hawks, a esposa do realizador Howard Hawks e o convenceu a convidar a actriz para realizar uma audição para o filme “Ter e Não Ter”.
Como resultado da audição, Bacall assinou um contrato de sete anos com Howard Hawks e passou a receber 100 dólares por semana. Em 1945, Lauren Bacall foi um dos destaques de “Confidential Agent”, com o actor Charles Boyer, que foi um filme arrasado pela crítica e a causou um início de carreira conturbado.
Anos mais tarde, na sua autobiografia, Lauren Bacall afirmou que, apesar de todo o sucesso no cinema, nunca conseguiu superar este episódio negativo.
Em 1953, a actriz protagonizou um dos maiores sucessos de vendas de bilheteiras de Hollywood dos anos 40: “How to Marry a Millionaire”, com Marilyn Monroe e Betty Grable.
Lauren Bacall, filha de imigrantes judeus nos Estados Unidos, tinha três filhos.
O realizador Howard Hawks foi também responsável pela troca do seu nome de Betty para Lauren. Na altura, o cineasta fez vários testes e convidou-a para o seu projecto seguinte, “Uma Aventura na Martinica” (1944). Como a actriz ficava nervosa diante das câmaras, Howard Hawks sugeriu que ela inclinasse a cabeça e puxasse o cabelo para um dos lados do rosto. Ela pressionou o queixo contra o peito e então dirigiu os olhos para cima de modo a poder olhar para a câmara. Esse efeito veio a deixá-la conhecida como “The Look”, a marca registada de Bacall.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA