Clássico norte-americano teve exibições especiais


29 de Setembro, 2014

Fotografia: Divulgação

O filme clássico “E tudo o vento levou”, que conquistou dez Óscar, voltou a ser exibido no domingo em sessões especiais, nas salas de cinema dos Estados Unidos, para festejar os 75 anos do seu lançamento.

A obra volta a ser exibida no dia 1 de Outubro e foi apresentada em 650 salas de cinema no seu formato original. O canal Turner Classic Movies (TCM) informou que preparou também uma apresentação especial para a ocasião, na qual conta o lançamento de um DVD.
O filme de 224 minutos de duração, que é uma adaptação do livro homónimo de Margaret Mitchell, vencedora do prémio Pulitzer, foi exibido pela primeira vez na cidade de Atlanta, EUA, no dia 15 de Dezembro de 1939. Desde então já teve nove versões diferentes.
A história de Scarlett O’Hara durante a conturbada Guerra de Secessão dos EUA recebeu dez Óscar, incluindo o primeiro prémio da Academia a uma mulher afro-americana, Hattie McDaniel, vencedora na categoria de actriz secundária pelo papel da empregada Mammy.
O site especializado “Box Office Mojo” diz que “E tudo o vento levou” ostenta o recorde de filme mais rentável de todos os tempos, com 1,6 mil milhões de dólares, à frente de “Guerra das Estrelas”, que arrecadou 1,45 mil milhões de dólares. Associado ao TCM, o Harry Ransom Center da Universidade do Texas, em Austin, que abriga os arquivos do produtor da MGM David O. Selznick, apresenta desde o início de Setembro e até 4 de Janeiro de 2015 uma exposição sobre a história do filme. Os vestidos usados pela protagonista estão entre os destaques da mostra.
A exposição conta ainda com páginas do argumento, que mostram a famosa resposta final de Rhett Butler: “Frankly, my dear, I don’t give a damn” (“Francamente, minha querida, eu não me importo”). A mostra recorda que Talullah Bankhead, Paulette Goddard, Susan Hayward, Lana Turner e Jean Arthur estavam entre as estrelas da época que fizeram testes para o papel de Scarlett O’Hara, que finalmente ficou com Vivien Leigh.
Cadiz, em Ohio, cidade natal de Clark Gable, que teve a sua casa transformada em museu, e a localidade vizinha de New Philadelphia, também celebram o aniversário do clássico com a sua exibição e um leilão de objectos relacionados com a longa-metragem, esta semana.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA