Distribuição cinematográfica em palestra

Manuel Albano |
16 de Agosto, 2016

Fotografia: Cedida

O cineasta, actor e produtor congolês democrático Ne Kunda Nlaba profere, hoje, às 9h30, no Centro Cultural Brasil-Angola, em Luanda, uma palestra sob o tema “Mercados Alternativos para Filmes Angolanos”.

Formado em Produção pela “University of West London”, Ne Kunda Nlaba, que está em Luanda há duas semanas, vai falar da sua expriência enquanto produtor residente em Londres há oito anos, e empresário no ramo da distribuição pela empresa Afrika Bizizi Distribution.
A palestra é de acesso livre e tem como público alvo realizadores e produtores de cinema e televisão, estudantes de cinema e todas as pessoas interessadas pelo desenvolvimento da sétima arte.
Organizada pela Associação Angolana dos Profissionais de Cinema e Audiovisual (Aprocima), a palestra visa assinalar os dois anos de existência da organização fundada a 16 de Agosto de 2014. Além de proferir a palestra, Ne Kunda Nlaba manteve vários contactos para intercâmbio no domínio da formação, produção e distribuição cinematográfica com membros da Aprocima, entre realizadores e produtores.
O realizador defende que a grande aposta deve incidir no campo da formação, em todas as áreas do universo do cinema, e revelou ser seu principal interesse colaborar com a Aprocima para formação de profissionais angolanos.
Ainda no âmbito do segundo aniversário da Aprocima, vai ser rubricado, hoje, um protocolo de trabalho entre o Centro Cultural Brasil-Angola e a Aprocima, que compreende várias acções de formação e a divulgação de filmografias de realizadores angolanos e brasileiros. A entrega de certificados às jovens que frequentaram, no mês passado, uma oficina de realização também consta do programa de amanhã, no CCBA. A Aprocima realiza dia 27, às 15h00, no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), uma conferência sobre “Plano Nacional de Formação em Cinema”, a ser apresentada na 10ª edição da Feira Internacional do Livro e Disco, que decorre de 22 a 28 deste mês.
No mesmo dia, isto no período da manhã, vai ser realizado um encontro de auscultação com profissionais e estudantes de cinema, na União dos Escritores Angolanos.

Divulgação de "Kimpa Vita"


O realizador, que está no país pela segunda vez, fez a estreia do filme “Kimpa Vita: A mãe da revolução africana”, um documentário produzido em 2015, exibido nos dias 4 e 11, no Centro Cultural Brasil-Angola, em Luanda, e na cidade de Mbanza Congo.
A intenção do realizador era de se juntar às festas da cidade Mbanza Congo, que decorreram no mês passado, na província do Zaire, e assinalar os 310 anos da morte da profetisa Kimpa Vita.
O documentário também vai ser exibido em Kinshasa, Londres, Paris e Bruxelas, e em festivais de cinema em todo o mundo, no final deste ano.
Produzido pela “Labson Bizizi-Cine Kongo Ltd” e “Afrika Bizizi Distribuição Ltd”, o documentário “Kimpa Vita: A mãe da revolução africana” foi escrito, produzido e dirigido por Ne Kunda Nlaba. Segundo a sinopse da longa-metragem de 70 minutos, a narrativa ocorre no século XVIII, uma época em que o legado de poderosos reinos africanos foram invadidos pelas potências ocidentais.
“A rica e abundante História dos povos africanos foi interrompida pela escravidão, genocídio e deportação de africanos para novas terras em outros continentes. O Reino do Congo não foi excepção. Um século mais tarde, em 1704, uma jovem destemida decide lutar a favor do seu país e, vindo tragicamente vem a falecer, é queimada viva a 2 de Julho de 1706, é sempre lembrada em toda a África, em particular no seu Reino, como 'Kimpa Vita: A mãe da revolução africana'”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA