Dois filmes lideram lista de nomeações


20 de Janeiro, 2015

Fotografia: Divulgação

“Birdman”, de Alejandro González Iñárritu, e “O Grande Hotel Budapeste”, de Wes Anderson, cada um deles com nove nomeações, são os grandes candidatos aos Óscares.

As duas comédias superaram em nomeação o drama “O Jogo da Imitação” e em três um dos grandes favoritos ao prémio de melhor filme, “Boyhood: Da Infância à Juventude”.
O filme de Clint Eastwood, “Sniper Americano”, igualou “Boyhood” com seis nomeações. “Foxcatcher”, “Interstellar”, “A Teoria de Tudo” e “Whiplash” tiveram cinco.
“Interstellar” é o único entre os filmes mais nomeados que não concorre na categoria de melhor filme, ma qual participa “Selma”, que teve apenas duas nomeações.
A cerimónia de entrega dos Óscares realiza-se no dia 22 no Teatro Dolby, em Los Angeles.

“Ida” conquista Hollywood

Vencedor nas categorias de melhor filme, realização, argumento, fotografia do European Film Awards (Prémios do Cinema Europeu), “Ida”, a preto e branco e com pouquíssimos diálogos, foi nomeado para o Óscar de melhor filme estrangeiro e melhor fotografia.
O filme, realizado por Pawel Pawlikowski, também responsável pelo argumento, juntamente com Rebecca Lenkiewicz, foi nomeado para Globo de Ouro, ganho por “Leviatã”, com o qual disputa agora o Óscar.
O reconhecimento dos académicos de Hollywood foi além das expectativas. Apesar da nomeação para a categoria de melhor filme estrangeiro já ser esperada, a de melhor fotografia foi uma surpresa por ser invulgar que filmes estrangeiros terem mais do que uma nomeação.
“Ida” é o nome verdadeiro de uma jovem noviça que vive num convento orfanato na Polónia desde bebé e que antes de fazer os votos para se tornar freira vai atrás de uma tia, única familiar ainda viva após a invasão nazi.
A devoção da jovem e os segredos guardados pela tia são evidenciados ao longo da história e servem para Pawlikowski abordar temas universais.
“É uma reflexão sobre identidade, fé, história individual e vínculos familiares”, declarou o realizador na apresentação do filme em Madrid. Pawlikowski referiu que o mais relevante é ela “ter uma fé muito forte, mas não a fé convencional”.
Sobre a fotografia, de Lukasz Zal e Ryszard Lenczewski, e o formato quadrado do filme, declarou: “busquei beleza, queria fazer um filme que convidasse à meditação e por isso a fotografia e a forma tentam fugir do drama e das emoções brutais e procuram o olhar distante e com outro tipo de paixão”.
“Reconheço que sinto nostalgia da Polónia daquela época e por isso tentei modelar esse mundo idealizado, mágico, um pouco melancólico, muito belo”, disse.
Esta é a décima vez que um filme da Polónia é nomeado para o Óscar de melhor filme estrangeiro, embora nenhum tenha ganho.
Mais quatro películas estão nomeadas para a categoria de melhor filme estrangeiro: “Relatos Selvagens”, de Damián Szifrón (Argentina), “Leviatã”, de Andrey Zvyagintsev (Russia), “Tangerines”, de Zaza Urushadze (Estónia) e “Timbuktu”, de Abderrahmane Sissako (Mauritânia).

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA