Cultura

Festival de Cinema abre na sexta-feira

A 21.ª edição do Festival Queer Lisboa  vai apresentar uma retrospectiva da artista taiwanesa Shu Lea Cheang, tendo confirmada uma instalação no Museu do Chiado, além de uma “masterclass”, anunciou a organização.

Filmes de Lea Cheang (à direita) são exibidos em retrospectiva
Fotografia: Marta Villena | El Pais

O Queer Lisboa  decorre de 15 a 23 de Setembro no Cinema São Jorge, com actividades paralelas no Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, contando com a estreia de “God`s Own Country”, de Francis Lee, na abertura, e com “Mãe Só Há Uma”, de Anna Muylaert, no encerramento. “O grande destaque é a secção dedicada à Shu Lea Cheang, um dos nomes mais relevantes no cinema ‘queer’ actualmente, porque ela não apenas cruza uma série de disciplinas artísticas, trabalha desde a instalação, performance, vídeo, cinema , mas também, em termos teóricos, está muito atenta àquilo que se tem vindo a desenvolver em teoria ‘queer’, de género. Conseguimos juntar as condições para tê-la cá e também, a propósito da nova longa que estreou em Berlim, resolvemos fazer uma grande retrospectiva em torno do trabalho dela”, disse o director do festival, João Ferreira, à imprensa portuguesa.
Fora de competição, o artista e actor pornográfico Colby Keller apresenta  “Colby Does America” e uma “masterclass” de entrada gratuita, estando também prevista a participação no festival de Yan England, a apresentar o filme “1:54”, protagonizado por Antoine-Olivier Pilon, e a antestreia nacional de “Quand On A 17 Ans”, de André Téchiné. Na competição de longas vão estar “As You Are”, de Miles Joris-Peyrafitte, “Beach Rats”, de Eliza Hittman, “The Beach House”, de Roy Dib, “Los Objetos Amorosos”, de Adrián Silvestre, “Pieles”, de Eduardo Casanova, entre outras películas.

Tempo

Multimédia