Filme angolano no Berlinale


17 de Fevereiro, 2016

Fotografia: Jaimagens

A estreia do filme “Cartas da Guerra”, cujas cenas foram gravadas nas províncias do Cuando Cubango e Malanje e com a participação dos actores angolanos Orlando Sérgio e David Caracol, marcou a presença de Angola na 66.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim, Berlinale, que se realiza até ao dia 21.

A exibição de “Cartas da Guerra”, a única longa-metragem portuguesa em concurso para a conquista do Urso de Ouro neste prestigiado festival internacional de cinema, contou com a presença do embaixador de Angola na Alemanha, Alberto Correia Neto, entre outros convidados. Orlando Sérgio, actor popularizado na série Conversas do Quintal, da Televisão Pública de Angola (TPA), esteve presente na sala do Berlinale Palast. A sessão registou lotação esgotada para a apresentação da produção portuguesa que concorre com outros 17 filmes para a maior distinção no Berlinale.
Na ficha técnica de Cartas da Guerra constam agradecimentos ao Governo Provincial do Cuando Cubango, em particular ao ex-governador Higino Lopes Carneiro, e ao jornalista, dramaturgo e escritor de ficção angolano José Mena Abrantes pelo apoio concedido para as filmagens em Angola. “Cartas da Guerra” resulta do trabalho de ficção do realizador Ivo Ferreira a partir das cartas que o médico e escritor português António ­Lobo Antunes enviou à sua mulher quando cumpria o serviço militar em Angola, como alferes do exército colonial, de 1971 a 1973.
O livro em que constam essas cartas tem como título D'este viver aqui neste papel descrito - Cartas de guerra. Esta terceira longa-metragem de Ivo Ferreira chega a concurso no Berlinale num ano em que Portugal regista a maior participação de sempre no certame, com a presença de duas longas-metragens e seis curtas-metragens.
O júri é presidido por Meryl Streep, actriz norte-americana que por três vezes conquistou o Óscar, dois como melhor actriz principal e outro como melhor ­actriz secundária. A segunda longa-metragem portuguesa em exibição no Berlinale é Posto Avançado do Progresso, de Hugo Vieira da Silva, com cenas captadas na província do Zaire e a participação de David Caracol.
A sinopse de Posto Avançado do Progresso conta a história de dois colonizadores portugueses que, imbuídos de uma vaga intenção “civilizadora”, desembarcam numa parte remota do Rio Congo para coordenar um posto comercial. À medida que o tempo passa, começam a ficar desmoralizados face à sua incapacidade de enriquecer à custa do comércio de marfim.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA