Realizador Alberto Arvelo produz filme sobre Picasso


16 de Abril, 2015

O venezuelano Alberto Arvelo vai produzir um filme sobre o pintor Pablo Picasso e a criação de “Guernica”, a obra do artista que lembra a cidade bombardeada pela aviação alemã durante a Guerra Civil de Espanha.

“É um dos argumentos mais impressionantes que li”, declarou Arvelo à Efe em entrevista concedida em Chicago, onde participa na 31ª edição do Festival de Cinema Latino.
A ahistória “tem muito a ver com o homem e a violência” e o argumento apresenta “uma leitura a duas vozes sobre a criação da pintura e uma história de amor que decorre em Guernica”.
O projecto está a desenvolver-se me Los Angeles e está “em estado embrionário”, embora estejam a ser fechados os acordos correspondentes, para carimbar esta previsível co-produção com a Espanha, que começa a concretizar-se em fins deste ano, acrescentou o realizador.
Arvelo foi o convidado de honra na noite inaugural do festival, na qual o seu filme “Libertador” foi aplaudido pelo público.
Nascido na cidade de Málaga, em 25 de Outubro de 1881, Pablo Ruiz Picasso, pintor espanhol naturalizado francês, tornou-se um dos mestres das artes plásticas do século XX, pois era ainda escultor, artista gráfico e ceramista. O seu talento foi herdado do pai, professor de desenho e pintor. Não tardou a ser reconhecido logo no início, quando o artista tinha apenas 15 anos.
Na infância, reproduzia episódios de touradas, tema da sua primeira obra, uma pintura a óleo sobre madeira, executada quando o artista tinha oito anos. Mais tarde criou uma tela semelhante “A morte da mulher destacada e fútil”, símbolo de sua relação com as mulheres.
Aliás, na história de Picasso, o seu envolvimento com as mulheres e a sua produção artística estão intrinsecamente ligados, e em cada nova relação ele começa a trilhar uma vereda artística renovada. A sua galeria de criações artísticas atinge o nível de milhares de obras.
Picasso chegou a Paris em Outubro de 1900, cidade que ele imediatamente adoptou como o seu novo lar, o núcleo de toda produção da vanguarda artística e cultural.
A princípio, ele seguiu caminhos convencionais, transitando da Fase Azul (1901-05), caracteristicamente melancólica, na qual ele aborda a cegueira, a pobreza, a alienação e o desespero.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA