Vida de Kimpa Vita chega ao cinema

Kindala Manuel |
5 de Abril, 2016

Fotografia: Kindala Manuel

Os feitos de Kimpa Vita, a heroína e profetiza do Reino do Congo, precursora das figuras proféticas das igrejas independentes e a criadora do movimento que revitalizou as raízes culturais tradicionais do Congo, são contados no cinema no novo filme do realizador Manuel Narciso “Tonton”.


O filme, explicou Manuel Narciso “Tonton”.  ontem, Manuel Narciso “Tonton”  ao Jornal de Angola, é um drama, com a duração de uma hora e trinta minutos, sobre a vida da heroína Kimpa Vita, baptizada anos depois pelos portugueses com o nome de Dona Beatriz. A produção procura enquadrar a história a partir do seu nascimento na antiga São Salvador, actual Mbanza Congo.
Ainda sem data de estreia, ou um título, o filme procura trazer mais detalhes sobre a vida de Kimpa Vita, condenada à morte na fogueira, por ordem de Dom Pedro IV, em 1706, por influência dos missionários católicos.
Kimpa Vita, considerada uma figura histórica do Reino do Congo, era uma profetisa, que depois da derrota de Ambuila, em 1665, quando o Reino do Congo ficou devastado, surgiu como   libertadoras, ao criar as primeiras bases de uma igreja africania, em que se misturam influências católicas e tradicionais.
Manuel Narciso “Tonton” a­diantou que o objectivo do filme é exaltar a figura de Kimpa Vita, através da sua história de vida, de forma que os jovens possam conhecer as figuras de destaque da luta contra a opressão colonial, em especial as pouco divulgadas.
“É preciso mostrarmos um pouco do passado para que os jovens saibam a importância da tradição e a luta travado por alguns para o bem de todos. São feitos e parte da História que precisam ser mais divulgados. É também um legado para a próxima geração”, justificou Manuel Narciso “Tonton”.  O realizador e produtor do filme acrescentou que também procurou mostrar um pouco da realidade social da época. O projecto, disse, está a ser feito há três anos e o argumento é de Micha Marciano e Ndualu Kiatoko Petwa.
Para executar o projecto o realizador Manuel Narciso “Tonton”  informou que fez pesquisas a fontes escritas e orais, assim como consultou escritores, historiadores e sociólogos. “Li também livros de autores nacionais e estrangeiros sobre Kimpa Vita. Além disso falei com historiadores angolanos e consultei algumas fontes orais no país e no Congo Democrático”, salientou.
O maior interesse pela produção do filme, contou Manuel Narciso “Tonton”, surgiu quando ouviu a opinião de alguns congoleses democráticos sobre a heroína. “Existem parte da vida de Kimpa Vita desconhecidas pelos historiadores angolanos. No Congo Democrático conheci um pouco mais sobre a vida dela e até onde chega o seu prestígio e influência na História.”

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA