Cultura

Filmes de Jorge António são exibidos em Luanda

Roque Silva

“Jorge António - Filmar (em) Angola” é o título de uma mostra de cinema na qual são exibidos, de segunda a quinta-feira, no Camões - Centro Cultural Português, e de 25 a 27, na Fábrica de Sabão, em Luanda, quatro dos mais representativos filmes daquele cineasta português.

Cena das Gravações de “A Ilha dos Cães”, uma adaptação do livro “Os Senhores do Areal”
Fotografia: DR

As sessões, com entradas  livre, é aberta segunda-feira, às 18h30, no Auditório Pepetela, com a apresentação do documentário “Paisagens Propícias”. A curta-metragem é o resultado de uma pesquisa e reinterpretação do livro homónimo de Ruy Duarte de Carvalho, lançado em 2005, e acompanha o trabalho de preparação da temporada 2012 da Companhia de Dança Contemporânea de Angola.
Na terça-feira, à mesma hora, a sala do Camões é reservada à exibido  o documentário “Kuduro, Fogo no Museke”. O filme integra uma trilogia do realizador, dedicada ao género de música popular urbana angolana. O curta-metragem, com 52 minutos, é uma das produções do realizador mais vistas de sempre, salientam o comunicado da produção.
A primeira longa-metragem de Jorge António, “O Miradouro da Lua”, é exibido na quarta-feira.
A produção é igualmente a primeira co-produção entre Portugal e Angola no período pós-independência.
A exibição do filme “A Ilha dos Cães”, quinta-feira, encerra a temporada da mostra no auditório Pepetela, no Camões - Centro Cultural Português, que prossegue na Fábrica de Sabão. O filme de 80 minutos, o mais recente trabalho de Jorge António, é uma adaptação da obra “Os Senhores do Areal”, de Henrique Abranches. As filmagens decorreram no Deserto do Namibe.
A promoção revestiu-se de alguma polémica, diz um comunicado do realizador, que justifica “por ter sido rejeitado pelas distribuidoras comerciais em Angola, com alegação de que o público local não tinha dimensão intelectual para entender a história.”
A mostra de cinema prossegue na Fábrica de Sabão, no Cazenga, onde vão ser exibidos “O Miradouro da Lua”, sexta-feira, às 18h30, “Kuduro, Fogo no Museke”, sábado, às 17h00, e “A Ilha dos Cães”, no domingo, às 17h00.
Jorge António nasceu em Lisboa  a 8 de Junho de 1966, mas vive em Angola, há quase trinta anos. A sua actividade inicia-se como cine-clubista, durante os estudos secundários. Fez  então uma dezena de filmes amadores. Mais tarde, em 1985, ingressa na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa, onde se licenciou e especializou na área de Produção. Desde então, esteve sempre ligado ao cinema e audiovisuais, participa em conferências e seminários sobre cinema, é júri e consultor em festivais, fomenta e colabora na edição de obras e revistas.
Realizou o primeiro filme com 24 anos. Iniciou-se na realização de cinema com o curta-metragem, em 1991, “O Funeral”, e, em 1993, durante o período da guerra em Angola, realiza a longa-metragem e 1ª co-produção luso-angolana “O Miradouro da Lua”.

Tempo

Multimédia