Cultura

Filmes polacos na tela do auditório Pepetela

O auditório Pepetela do Camões - Centro Cultural Português, em Luanda, acolhe a partir de hoje, 18h30, um Ciclo de Cinema Polaco, que abre com o filme “Guerra Fria”, Pawel Pawlikowski.

Uma das cenas do filme rodado no país e que passa amanhã
Fotografia: DR

“Guerra Fria" narra uma história de amor entre duas pessoas de diferentes origens e temperamentos, que são fatalmente incompatíveis mas que estão destinadas a ficar juntas. Produzido este ano, o filme  tem como pano de fundo a Guerra Fria nos anos 50, na Polónia, Berlim, Jugoslávia e Paris, e retrata uma história de amor impossível em tempos impossíveis, de acordo com a sinopse. As entradas são livres, e o ciclo termina quinta-feira. Amanhã vai ser exibido o filme  “Mais um dia de vida”, de Raúl de la Fuente e Damian Nenow. Também produzido este ano,
“Mais um dia de vida” é um filme de animação ba-seado no livro do jornalista polaco Ryszard Kapuscinski, um dos maiores repórteres do Século XX, que esteve em Angola num período conturbado, entre 25 de Abril de 1974 e 11 de Novembro de 1975, data da proclamação da Independência de Angola. “Mais um Dia de Vida” é um extraordinário relato dessa época, 1975, que conjuga os géneros  animação e documentário.
Para encerrar, na quinta-feira, vai ser exibido “A Paixão de Van Gogh”, filme de Dorota Kobiela e Hugh Welchman, produzido em 2016. “A Paixão de Van Gogh” é um filme de animação, o primeiro completamente pintado à mão. Para animar o filme, foram pintados e repintados 853 quadros a óleo, feitos por mais de 100 artistas diferentes, a partir de 130 obras do lendário pintor holandês.
Ao todo, foram necessários 65 mil fotogramas, para animar a história, que foca-se mais na morte do que na vida do artista, com a acção a desenrolar-se um ano após a sua morte e pessoas a tentarem perceber o que é que aconteceu ao certo a Van Gogh.

Tempo

Multimédia