Cultura

Fineza Teta mostra criações

A exposição individual de pintura e instalação intitulada “África minha herança” da artista plástica Fineza Teta é inaugurada no dia 11 deste mês, às 18h30, no Camões - Centro Cultural Português, em Luanda, em alusão ao 25 de Abril, Dia de África.

A exposição “África minha herança”, que fica patente ao público até ao próximo dia 27, reúne seis obras inéditas de pintura, em acrílico e óleo sobre tela, duas  instalações e duas esculturas.  É uma evocação ao continente marcado pela diversidade de paisagens, de povos, de religiões, de línguas e de culturas, ou seja à arte africana, indissociável das crenças e mitos das comunidades que a foram produzindo, há milhares de anos,  “reflectindo   na sua  arte  a alma do povo.”
A arte africana, ignorada pelo ocidente ao longo dos séculos, foi recuperada como fonte de inspiração no  final do século XIX, por correntes marcantes da história da arte, como o expressionismo, o fauvismo e o cubismo.
As máscaras e as estátuas africanas influenciaram a arte moderna, rompendo com os cânones clássicos da pintura. É sobre este património cultural africano, em particular de Angola, que  Fineza Teta se debruça neste seu mais recente trabalho. Nas obras “Pensador”, “Estudo dos pentes”, “Casal design mascaras’s”, “Elementos típicos” e “Mulher himba” a artista lança um olhar sobre o passado a pensar na construção de um futuro de esperança para o continente. 
Na sua habitual versatilidade, Fineza Teta, para além das obras de pintura, vai apresentar duas instalações e duas esculturas, procurando reafirmar o seu caminho e a sua identidade, muito particular como artista.  Fineza Sebastião Teta nasceu em Luanda, em 1977, tendo despontado em 1988, com a produção da obra “Casamento”, com a qual arrebatou uma menção honrosa no Prémio ENSA-Arte. Com o intuito de obter mais conhecimentos, viajou para a África do Sul, onde aprofundou comunicação visual, plástica e design.

Tempo

Multimédia