Cultura

Fotógrafos angolanos em residência artística

Os fotógrafos angolanos Geraldo Alexandre e Indira Mateta participam até o próximo dia 20, em Mindelo, Cabo Verde, na quarta edição da residência artística “Catchupa Factory”.

Indira Mateta uma das participantes desta edição da “Catchupa Factory”
Fotografia: DR

Além dos angolanos, a residência artística reúne outros seis fotógrafos de Moçambique e do país anfitrião, escolhidos entre 42 candidatos, numa iniciativa dirigida essencialmente a talentos da área da fotografia dos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP).
O trabalho dos participantes, que durante a residência vão aprender com a experiência e o auto-didactismo de cada um, é exposto dia 20, no Centro Cultural do Mindelo.
Este programa de incentivo à criação artística, na área da fotografia, em formato de residência, dirigido a “fotógrafos e artistas emergentes” dos PALOP, é organizado pela Associação Olho-de-Gente (AOJE), no Mindelo.
Em declarações a agência cabo-verdiana Infropress, Indira Mateta destacou a importância do intercâmbio entre fotógrafos africanos emergentes, tendo garantido estar “muito feliz” com a possibilidade de conviver com colegas de outros níveis e de diferentes países.
“É uma oportunidade fantástica, ainda mais por ser em Cabo Verde, este país que tenho um carinho especial”, adiantou a jovem, que se considera uma auto-didacta na fotografia.
Neste ano, o Catchupa Factory conta o financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian, garantido para mais três edições futuras, que permitiu aumentar a duração da residência artística para mais uma semana, além das duas que têm sido habituais nos anos anteriores.
A divulgação dos resultados está prevista para 2 de Abril, em que serão conhecidos os escolhidos pelo júri, constituído por Diogo Bento e Rita Raínho da AOJE, a formadora Michelle Loukidis, da África do Sul, Paula Nascimento (Angola) e John Fleetwood (África do Sul), que são os curadores convidados.
O Catchup Factory é um projecto de criação artística que promove um olhar sobre a fotografia no contexto dos PALOP, trazendo uma visão de fora para dentro de Cabo Verde, para ajudar os criadores cabo-verdianos a ampliarem a sua concepção sobre a fotografia.
Nas três primeiras edições do Catchup Factory, participaram 36 fotógrafos oriundos do espaço lusófono.

Tempo

Multimédia