Cultura

Função pedagógica do teatro em destaque

Manuel Albano

A 13ª edição do Festival Internacional de Teatro do Cazenga (FESTECA) realiza-se de 19 a 29 de Julho do corrente ano no Centro de Animação Artística do Cazenga (Anim’art), com a participação de 80 grupos nacionais e estrangeiros, garantiu, ontem em Luanda, Orlando Domingos,  director pela iniciativa.

Festival tem ajudado os grupos a consolidarem intercâmbio em seminários e oficinas
Fotografia: Eduardo Pedro|Edições Novembro

Em declarações ao Jornal de Angola, Orlando Domingos disse que já estão confirmados pelo menos 80 grupos de teatro, dos quais 21 são estrangeiros provenientes de Portugal, Argentina, México, Brasil, Moçambique e Cabo Verde.
O festival, este ano, vai decorrer sob um lema ligado “A pedagogia no teatro”, sendo a cerimónia de abertura presidida por um representante do Ministério da Cultura e tem como objectivo a consolidação das relações entre grupos nacionais e estrangeiros.
O FESTECA, assegurou Orlando Domingos, tem sido “uma oportunidade para promover, valorizar e divulgar as artes cénicas, em particular o teatro, e a cultura angolana, no geral”, o que tem permitido mostrar aos grupos internacionais a realidade artística do nosso país.
O director do festival mostra-se satisfeito pelo número de pedidos de participação dos grupos nacionais e estrangeiros, o que mostra a magnitude e prestígio que o FESTECA vem  alcançando ao longo desses anos de existência.
Apesar das dificuldades financeiras constituírem constrangimentos ao longo dos últimos anos,  Orlando Domingos garantiu que o festival tem sobrevivido com vários apoios, destacando o sector privado que tem sido um parceiro estratégico.
Além de peças exibidas em palcos convencionais, também  vão ser realizadas actividades paralelas como teatro de rua e oficinas orientadas, diariamente, por directores e actores nacionais e estrangeiros.
 Durante as edições do  FESTECA, a organização tem aproveitado o momento para realizar uma reunião da Associação Internacional de Teatro para Crianças e Jovens (ASSITEJ).
A participação de um ou mais grupos do México, pela primeira vez no festival, é uma das novidades deste ano, onde cada um dos grupos convidados vai ter um dia para dirigir oficinas e mesas-redondas, nas quais vão participar todos os convidados do FESTECA, por forma a permitir a troca de experiências entre os artistas.
A criação artística e a adaptação de textos, expressão corporal, pedagogia no teatro infantil,  representação gestual, oralidade e processo de criação artística, assim como a importância da formação para as artes e produção são alguns dos pontos a serem debatidos durante a realização das oficinas artísticas e dos seminários, realizados no Centro de Animação Artística Anim’art, no Cazenga. 
No ano passado, a organização homenageou o administrador municipal do Cazenga, Victor Nataniel Narciso, enquanto autor de textos dramáticos, aos grupos de teatro Etu Lene e de humor, Os Tuneza.
Desde 2016, o festival tem procurado homenagear encenadores e actores de várias gerações do teatro angolano. Actualmente, adoptou um novo modelo para abertura do festival que consiste na apresentação de uma obra pelo grupo homenageado, ao contrário de a apresentar na sessão de encerramento, como ocorria nas edições anteriores.
O Centro de Animação Artística do Cazenga é um espaço de promoção e desenvolvimento de acções para a elevação do nível cultural da juventude através da sua participação nas actividades da vida social e comunitária, com o apoio da Associação Globo Dikulo.
O projecto desenvolve em parceria com as suas congéneres francesas, Fra Angelico e Tournefou,  uma série de projectos no âmbito da cooperação artística e cultural, enquanto membro da ASSITEJ.
Abraçaram igualmente o projecto, os especialistas franceses ligados à referida Academia Internacional de Teatro Infantil, Ministério da Educação, Embaixada de França, a Empresa Total e a Alliance Française.

Tempo

Multimédia