Funcionários aperfeiçoam conhecimentos

Roque Silva |
15 de Março, 2016

Fotografia: Domingos Cadência |

Um total de 28 técnicos angolanos ligados à administração de várias instituições públicas adquirem, desde ontem, em Luanda, conhecimentos sobre as novas tecnologias de gestão de arquivos, no âmbito da cooperação cultural entre Angola e Espanha.

A formação decorre até sexta-feira, no Arquivo Nacional de Angola, com o tema “Arquivo e Arquivística”. Orientado por Diego Mayoral, especialista espanhol em Ciências da Comunicação e Gestão de Arquivos.
“O curso possibilita  aos formandos terem maior facilidade de acesso nos arquivos das instituições públicas”, disse o secretário de Estado da Cultura, Cornélio Caley na   abertura do curso.
“A formação  permite que o Ministério da Educação insira a disciplina de Arquivo nos planos curriculares”, informou  Cornélio Caley, que explicou que    manejar arquivos tal como a ciência recomenda é um grande desafio do Executivo que perspectiva servir melhor no  capítulo do tratamento documental. A embaixadora   de Espanha, Júlia Olmo, reconheceu que o arquivo constitui a memória histórica  e a síntese do conhecimento de um povo, motivo pelo qual o seu país está disposto a trabalhar com Angola na melhoria dos seus quadros.
O formador Diego Mayoral disse ao Jornal de Angola que os arquivos são uma área multidisciplinar que tratam igualmente do património documental. “O património histórico de Angola e a sua forma de conservação é tratada de forma minuciosa por traduzirem a prova documental da História de Angola. Os técnicos são preparados para os novos desafios da Administração Pública, por forma a garantir que o país acompanhe o passo dos países desenvolvidos na área de gestão documental.”
A exploração da documentação electrónica e a preservação da memória digital  são essenciais para o trabalho dos arquivistas, realçou o professor que reconheceu dever haver antes um período de transição do analógico ao digital.
  “Transferências de séries documentais”, “A implementação da Gestão documental em instituições”, “Benefícios e Desafios do Sistema Nacional de Arquivos”, “Elementos e Funções”, “Comissão de qualificação”, “Acesso de documentos administrativos”, “Acesso à documentação  por parte dos cidadãos”, “Documentos electrónicos: preservação de documentos e dados” são temas do curso, que se debruça também em outros temas como  “Informática e arquivos: bases de dados”, “Redes virtuais”, “Arquivos em Rede”, “Gestão de desastres” e “Código deontológico”.
O curso tem o financiamento do Programa ACERCA da cooperação espanhola, direccionado à cooperação cultural, que resultou na formação de mais de 30 técnicos angolanos em Gestão Museológica, realizada na semana passada, no Museu Nacional de História Natural em Luanda, e, entre 2014 e 2015, na formação de técnicos da Biblioteca Nacional.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA