Futuro da dança angolana em debate


29 de Abril, 2016

Fotografia: António Soares | Cabinda

A arte milenar de todos os povos e de todas culturas, a dança, celebra hoje, 29 de Abril, o seu Dia Internacional, com alegrias e tristezas em todo o mundo. Por ocasião da efeméride, o Ministério da Cultura não quis deixar de assinalar a data, trazendo o tema para o debate.

Em mensagem a propósito do Dia Internacional da Dança, a ministra da Cultura refere que se o percurso, a actualidade e o futuro da nossa dança, seja ela tradicional, seja ela contemporânea, constituem elementos do Programa de Trabalho do Ministério, ganha relevância o tema nesta ocasião.
“A efeméride adoptada pelo órgão especializado das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), serve para os Estados Membros reflectirem sobre o estado actual da dança nos respectivos países e no mundo, apontar dificuldades, sugerir caminhos, apresentar obras, realizar acções formativas e perspectivar acções futuras à valorização, divulgação e desenvolvimento da dança”.
Para Carolina Cerqueira esta é uma circunstância em que saudamos vivamente todos os dinamizadores da nobre arte, nomeadamente, bailarinos, coreógrafos, professores, instrutores, promotores, técnicos, críticos e todos os outros intervenientes neste domínio particular a Cultura, pelo contributo que, quantas vezes em condições adversas, têm dado em prol do desenvolvimento da dança.
É também, referiu Carolina Cerqueira, uma circunstância em que devemos avaliar realisticamente o estado do trabalho e dos grupos e quiçá constatar que muito trabalho há ainda por se fazer, par que os grupos alcancem o nível de organização interna necessário e performances artísticas nos espectáculos, que lhes permitam o reconhecimento da sociedade e tornarem as suas produções apetecíveis e desejadas, quer pelo grande público quer pelo público especializado, nacional ou estrangeiro.
O Ministério da Cultura propõe-se continuar a dar a atenção e apoio institucional às associações e dos grupos de dança para que estes atinjam níveis de criação e apresentação que a todos nós orgulhem e sirvam de motivação ao surgimento de outros praticantes e outros grupos que contribuam assim para o aumento da oferta e da prática cultura e deste modo, para o bem estar da sociedade, disse Carolina Cerqueira, para acrescentar: “O Ministério da Cultura reitera o interesse em ver desenvolver o associativismo cultural e a prática artística amadora, sem prejuízo para a profissionalização, como forma de preencher os tempos de ócio em todas as idades e particularmente na juventude e, por esta via, criar mentes sãs, úteis e necessárias ao desenvolvimento harmonioso da sociedade.”
Carolina Cerqueira concluiu que  o Dia Internacional da Dança deve servir também para reavivar o interesse nacional pela dança.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA