Cultura

Gala presta homenagem à beleza africana

O espaço Petit Palais, em Lisboa, acolheu a primeira Gala Mister Black Portugal, numa noite de beleza e filantropia.

Modelo brasileiro Dori Nigro é o vencedor do Mister Black
Fotografia: Edições Novembro |

Quase 200 pessoas, entre músicos, VIPs, sponsors, modelos, actores e agentes da moda desfrutaram de um ambiente repleto de glamour e elegância. 
A marca Mister Black Internacional é um evento criado pela angolana, nacionalizada belga, Isabel Manuel do Nascimento. O evento foi criado com o objectivo de reconhecer e valorizar a beleza masculina e ajudar os jovens com ascendência africana a inserirem-se no mercado do trabalho na Europa. Com forte pendor humanitário, o certame contribui materialmente para o orfanato GA-ANGOLA.
O Mister Black Portugal simboliza a matriz sócio-cultural assente nos hábitos e costumes dos concorrentes provenientes de vários países africanos. O que se pretende com a marca é que os jovens africanos na diáspora reafirmem a identidade dos saberes do continente, a mística arreigada nos povos africanos e a sua infinita diversidade de rituais e tradições.
O vencedor do Mister Black Portugal vai fazer parte de uma comitiva que se vai deslocar a Angola para a criação de uma plataforma de apoio ao sector da saúde.
O Mister Black, apesar da vertente ligada à moda, pretende ter como elo forte a componente filantrópica. O vencedor do Mister Black Portugal passa a ser embaixador, durante um ano, de projectos humanitários.
O casting foi feito em Setembro e a grande gala realizada em Novembro de 2017. Na ocasião sagrou-se vencedor o jovem africano Dori Nigro, agora de nacionalidade brasileira. O jovem de São Tomé e Príncipe e agora com nacionalidade portuguesa, Paulo Conceição, conseguiu o segundo lugar e o terceiro lugar foi atribuído ao jovem Guy Boissy, de nacionalidade senegalesa. Estava assim encerrado o Mister Black Portugal 2017.

Tempo

Multimédia