Galeria Tamar Golan abre com propostas

Roque Silva e Mário Cohen |
17 de Fevereiro, 2016

Fotografia: Paulino Damião

A Galeria Tamar Golan, afecta à Fundação Arte e Cultura, pretende manter viva a cultura angolana com a promoção de actividades regulares no seu novo atelier, inaugurado segunda-feira, em Luanda, disse ontem o seu responsável.

Adriano Maia disse ao Jornal de Angola que a programação se mantém, à semelhança do antigo espaço, uma vez que vai continuar a promover exposições semanais de artistas nacionais consagrados e novos talentos.
Referiu que a prioridade é dada aos artistas membros da Fundação Arte e Cultura, sendo que está aberto a novas propostas de outros criadores por achar que todos contribuem para o desenvolvimento da cultura nacional.
Adriano Maia convidou, por outro lado, os artistas a explorarem a Galeria Tamar Golan para desenvolver parcerias, por ser um espaço atractivo e com boas condições de conservação das obras. 
As novas instalações reforçam o leque de espaços disponíveis para os artistas plásticos exibirem as suas criações com baixos custos de produção de exposições e estão localizadas no Edifício Rainha Ginga, na Rua Rainha Ginga, no distrito urbano da Ingombota. A galeria foi criada pela Fundação Arte e Cultura, uma organização com objectivo de desenvolver da cultura nacional e incentivo à educação para as artes, em parceira com a empresa Siccal.
O espaço foi aberto com uma exposição colectiva, denominada “Tamar Golan”, que reúne todo o seu acervo, criada durante os últimos dez anos, e obras de 20 artistas consagrados.
Na mostra, uma homenagem a Tamar Golan, uma jornalista e diplomata israelita conhecida pela promoção e divulgação da cultura africana e das relações entre Israel e os países africanos, se destacam 15 instalações, 27 telas e três fotografias, dos artistas plástricos Francisco Van-Dúnem (Van), Paulo Kapela, Manuel Egas, Miguel da Franca, Mariza dos Santos, Nsimba Diongo, Cristiano Mangovo, Mumpasi Meso, Adalberto Ferreira “Toy Boy” e Renato Fialho.

Maior divulgação

O pintor Francisco Van-Dúnem “Van” disse ao Jornal de Angola que os artistas há que têm aguardado por novos espaços no sentido de contribuir para o desenvolvimentos das artes plásticas angolanas, expondo as suas criações de maneira a serem mais visíveis e dignificadas.
Para Van, a nova instalação da Galeria Tamar Golan é um grande ganho para os criadores nacionais, uma vez que vai ajudar muito na divulgação e promoção dos seus trabalhos artísticos. O pintor acrescentou ainda que a galeria tem uma grande dimensão com capacidade para receber grandes mostras de arte. “Neste caso, a Fundação Arte e Cultura está de parabéns porque tem feito muito para o desenvolvimento da cultura nacional, principalmente no domínio das artes plásticas”.
Na óptica de Van, cada município de Luanda deveria ter um espaço para a promoção das artes plásticas, tendo defendido a construção de espaços idênticos nas restantes províncias.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA