Cultura

Governo de Luanda apoia sector cultural

Manuel Albano

O Governo da Província de Luanda vai continuar a prestar atenção ao sector da cultura, particularmente no teatro, pela dinâmica apresentada nas últimas duas décadas.

Ana Paula Correia Victor
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

A garantia foi dada pela vice-governadora, Ana Paula Correia Victor, na abertura do Circuito Internacional de Teatro (CIT), que decorre até 17 de Setembro, na Liga Africana. O Circuito Internacional de Teatro, disse Ana Paula Correia Victor,  tem sido um exemplo dessa dinâmica, através do surgimento dos distintos movimentos, grupos e companhias da Associação Angolana do Teatro (AAT).
Considerada a “mãe das artes”, Ana Paula Correia Victor afirmou que o teatro tem desempenhado um papel importante no quotidiano dos cidadãos e por exercer uma função relevante na elucidação dos distintos aspectos da sociologia das sociedades.
O CIT, adiantou, já está associado a outras iniciativas que já fazem parte da agenda cultural dos luandenses, como o Festival Anual de Teatro (Festipaz) e o Festival Internacional de Teatro do Cazenga (FESTECA). “Existem outras iniciativas, cada uma com as suas particularidades e especificidades que vão merecer a nossa atenção”.
Ana Paula Correia Victor fez um reconhecimento especial aos demais grupos nacionais e internacionais, que seguramente vão prestigiar e dar grandiosidade ao CIT, num profundo exercício de intercâmbio cultural e troca de experiência.
A vice-governadora lamentou os constrangimentos verificados nos últimos tempos, na capital do país, provocando um afrouxamento na dinâmica das mais variadas actividades culturais em Luanda. “Continuaremos a fazer o melhor e a prestar maior atenção ao sector da cultura na província para continuarmos a ser a capital, não apenas política, mas também cultural de Angola e a vanguarda do teatro”.
Aproveitou a ocasião para reconhecer o papel do empresariado nacional no processo de desenvolvimento da cultura nacional, exortando essa classe ao apoio dos vários projectos, à luz da Lei do Mecenato. “Esperamos poder continuar a contar com o prestimoso e indispensável apoio dos empresários na dinamização das artes no país”.

Tempo

Multimédia