Cultura

Grupo Elinga exibe peça “As Bondosas”

O espectáculo “As Bondonsas”, que narra a história de três carpideiras que se surpreendem com situações inusitadas e o comportamento exótico de uma família aristocrática durante o funeral da filha mais nova, volta a ser exibido sabado, às 20h00, pelo grupo Elinga Teatro, na sua sede, na Baixa de Luanda.

Actrizes do Elinga Teatro levam sabado à cena “As Bondosas”
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

A exibição da peça, estreada em Luanda em 2013, numa parceria entre o Espaço Cultural Elinga e a NCR, está inserida na iniciativa “Teatro Solidário”, cuja receita de bilheteira reverter a favor do projecto Cuerama.
Levado à cena pelas actrizes Cláudia Nobre, Anabela Aya, Cláudia Púkuta, Ana Clara Hibner e José Mena Abrantes, a peça “As Bondosas”, do dramaturgo brasileiro Ueliton Rocon, recria a imagem triste de três jovens, Astúcia, Angústia e Prudência, junto ao caixão, contrastando com o ambiente quase alegre do velório, propiciado pelos mexericos dos convidados e pelo vaivem das bandejas de café.
Com bom humor e irreverência, a peça aborda, ainda a existência a partir do olhar das carpideiras, figuras típicas e, de certo modo, míticas, ainda presentes nos funerais do sertão nordestino brasileiro.
Além de Angola, a peça já foi exibida no Festival Internacional da Língua Portuguesa, no Rio de Janeiro, no Festival Internacional do Mindelo (Mindelact), em Cabo Verde, e na Cena Contemporânea de Matosinhos, norte de Portugal.
O grupo Elinga-Teatro (do umbundo ‘elinga’, significa acção, iniciativa, exercício) foi criado, no dia 21 de Maio de 1988. A existência do grupo inscreve-se, no entanto, numa linha de continuidade, iniciada com o grupo Tchinganje (1975/76), prosseguida com o Xilenga-Teatro (1977/80) e com o grupo de Teatro da Faculdade de Medicina de Luanda (1984/87).

Tempo

Multimédia