Cultura

Grupo Justiça e Arte exibe peça de teatro no Camões

“E se os homens fossem assim?” é o título da comédia que o grupo Bando Teatral Justiça e Arte estreia, amanhã, às 18h30, no Auditório Pepetela do Camões - Centro Cultural Português, em Luanda.

Actores levam à cena amanhã uma peça que narra o conflito de um casal
Fotografia: Dr

O espectáculo de teatro contemporâneo descreve de forma cómica e orgânica o conflito de um casal que pretendia uma noite de prazer mas o acto torna-se impossível devido a uma calça.
Com os actores Alexandre Alexandre, no papel de Dr. Roon, e Rosa Kanhama, personagem de Liliana, como protagonistas, o espectáculo, de 45 minutos, tem a produção conjunta do Centro Cultural Português, em Luanda, e do Bando Teatral Justiça e Arte, que garantem proporcionar uma noite de lazer aos espectadores.
Alberto Sanzala, director e encenador do espectáculo, afirmou que “E se os homens fossem assim?” é uma peça revolucionária por ser montada sobre uma técnica não muito habitual na dramaturgia no país.
Adiantou ser uma experiência nova para ele, como director e encenador de teatro, mas acredita que este espectáculo vai superar as grandes produções teatrais em que já participou.
O Bando Teatral Justiça e Arte foi fundado em 2002, inicialmente com a designação de Grupo Teatral Quissunje, pela Comissão de Justiça e Paz da Paróquia Santo André. Em 2005, alterou a denominação para Kilokota e Ana Ngunzu, ainda no mesmo ano, para Grupo Teatral Justiça e Arte e, em 2008, para Colectivo Artístico Justiça e Arte e, finalmente, em 2010, adoptou a designação actual, Bando Teatral Justiça e Arte. Desde a sua criação que se dedica à prática do teatro, música, fotografia, dança moderna e literatura.

Tempo

Multimédia