Grupo Killa Hill quebra jejum discográfico

Roque Silva |
23 de Dezembro, 2014

Fotografia: Divulgação

O trio Killa Hill regressou ao mercado com a apresentação do quarto disco de originais, “Longa Metragem”, oito anos depois do lançamento do registo, “3º Episódio - O Clássico”.

O novo CD tem 17 faixas e foi comercializado por 500 kwanzas, na Praça da Independência e na Casa da Juventude de Viana, em Luanda. Milhares de fãs do grupo presenciaram os dois momentos.
Manjary, um dos integrantes do grupo, agradeceu a todas as pessoas que se deslocaram para os apoiar. “A presença do público nas actividades em que o artista promove a sua arte é fundamental para fazer avaliações tanto sobre o próprio trabalho como do mercado em que estamos inseridos”, afirmou.
Alibabá, outro membro do Killa Hill, disse que não contava com  tão elevado número de fãs. “É bom saber que os admiradores do grupo estão sempre connosco. Apesar de estamos a fazer um rap moderno, mais ritmado e com novas tendências, pensamos, por alguns momentos, que o disco não pudesse atrair tantas pessoas”, disse. Alibabá disse que o repertório tem entre outras músicas “Ser Angolano”, “Vizinha ao Lado”, “Estragar o Boneco”, “Comandante em Chefe”, “Pendura”, “Mulher e Beber” e “Amor e Guerra”.
O disco foi produzido e gravado nos estúdios Killa Records, em Angola, e tem as participações de Anselmo Ralph, Selda, Nikila de Sousa, Lawilka, Latón, Obie Shine, Kid Mau, Carla Monteiro e Girinha.
Killa Hill é um dos grupos de hip hop nacionais responsáveis pela transformação do rap tradicional. Criado em 1998, integra os cantores Alibabá, Smallz e Manjary. Tem no mercado os discos “Outro Nível”, lançado em 2000, “Segundo Episódio”, 2002, e “3º Episódio - O Clássico”, 2005. O grupo fez sucesso a partir do seu álbum de estreia, onde temas como “Bambinas”, foram um sucesso nas pistas de dança e casas de música.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA