Cultura

Grupo Mandragora Circus traz inovações no Festeca

Manuel Albano |

Teatro, círculo e música são as propostas que a companhia Mandragora Circus, da Argentina, trouxe a Luanda para apresentar amanhã, às 15h30, no palco do Centro de Animação Artística Anim’art, na sua estreia na 12.ª edição Festival Internacional de Teatro do Cazenga (Festeca).

Dupla argentina aproveita a estadia em Luanda para trocar experiências com outros actores
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

O grupo, que está a realizar desde 2010 uma digressão pelo mundo denominada “O mundo é nossa casa”, quando a dupla (Mariana Silva e Juan Cruz Bracamonte) decidiu começar uma viagem de quatro anos nas Américas, apresenta o espectáculo “Clown circo-teatro”.
Desde 2015 até agora, o Mandragora Circus está numa “aventura”, em mais 35 países percorrendo a Europa, África e Ásia, sendo Angola o trigésimo sexto a ser visitado, de acordo com Mariana Silva, em declarações ao Jornal de Angola.
Na Argentina, explicou a actriz, têm apresentando o espectáculo em várias regiões do país, a sua principal actividade como empresa, as suas performances. “Nós estamos a fazer a digressão sucessivamente desde 2003, quando estreámos o espectáculo ‘Clown circo-teatro’ na Patagônia, Argentina e até hoje continuamos.”
O objectivo da digressão, explica, é fazer exibições de teatro, música e circo, utilizando apenas a mímica e expressões gestuais. A preocupação é o desejo incessante de contar uma história com acrobacias de circo, música e técnicas que ambos os artistas desenvolveram fruto do talento artístico.
Pela primeira vez em Angola, o actor argentino Juan Cruz Bracamonte disse ter sido um prazer conhecer a cultura e o povo angolano, pela hospitalidade e  pela forma como a dupla foi recebida em Luanda. “A nossa digressão tem-nos permitido conhecer pessoas de diferentes culturas, que têm apreciado do nosso espectáculo apresentado em vários locais, desde os grandes teatros das principais cidades até às pequenas comunidades.”
A ideia, realçou o actor, foi trazer para o festival um produto inovador, em que os espectadores se possam divertir, aplaudir e emocionalmente poderem experssar os seus sentimentos no final do espectáculo de aproximadamente uma hora.
O projecto estreou na cidade de Trelew, Chubut, Patagónia, na Argentina, em 2003, e até ao momento foi realizado sem interrupção. Em 2005, o espectáculo foi escolhido para representar a Patagónia no “XX Festival Nacional de Teatro”, na Argentina.
O Mandrágora Circus participou em festivais de teatro realizados na Argentina, abrangendo 14 províncias e mais de 60 cidades. A companhia foi convidada a participar na “Feira do Livro de Crianças e Jovens de Buenos Aires”, na Argentina, no Festival de Teatro de San Martin de los Andes, em Neuquen, e no Festival Nacional de Teatro Juvenil, em Rio Negro.
Em 2009, foi seleccionado para fazer parte do Festival Internacional de Teatro de Santa Cruz de Sierra, na Bolívia. Em 2015, as apresentações do Mandragora Circus continuaram na Argentina e no México, tendo participado no 1º Festival de Arte para Crianças do Centro Cultural Kirchner de Buenos Aires e no Festival de Teatro de Nuevo León de Monterrey.
No mesmo ano, o espectáculo foi convidado para participar nos festivais de teatro infantil de Bucareste, Roménia, Banja Luka, Bósnia, Herzegovina, Polónia, França e Tunísia.

Tempo

Multimédia