Grupo Nguizane Tuxicane e o espectáculo "Massoxi"

Manuel Albano
6 de Agosto, 2016

Solidificação familiar é o tema assente da peça “Massoxi, as lágrimas provocadas”, proposta do colectivo de teatro Nguizane Tuxicane a ser exibida amanhã, às 20h00, no Centro Cultural e Recreativo Maxinde, no bairro Marçal, em Luanda.

O drama, que é interpretado por oito actores, em cerca de uma hora, aborda diversos assuntos da sociedade luandense em particular, disse ao Jornal de Angola o director artístico e encenador do grupo.
Os conflitos nas relações conjugais e a necessidade de uma maior protecção da criança, explicou Agostinho Cassuma, é o pano de fundo do espectáculo, por ser um tema actual e que tem sido amplamente abordado nos palcos de teatro no país.
A peça é uma crítica social, fala da rotura conjugal de um casal por motivos financeiros e de doença, que se torna um dos aspectos fundamentais para destruição de muitas famílias. “A traição nos casamentos deve ser encarada sem tabus, para ajudarmos a sociedade a encontrar os melhores caminhos para a resolução dos conflitos e lutarmos para termos uma sociedade harmoniosa e equilibrada.”
A maioria das famílias, em algum momento das suas trajectórias, vivem situações conflituosas, seja nas relações conjugais ou familiares, e assim precisamos de apresentar algumas reflexões sobre os conflitos nas relações conjugais e seus efeitos sobre o comportamento dos filhos durante a infância, disse.
O grupo Nguizane Tuxicane, que nas línguas nacionais kikongo e quimbundo significa reconciliação, existe desde Fevereiro de 1995 e foi criado por um grupo de jovens da Paróquia de Nossa Senhora das Graças (Igreja Católica), no município do Rangel.
O colectivo tem 18 membros e já encenou, dentre outras peças, “Três homens e uma mulher”, “O destino que a vida me deu”, “Desastre de um jovem”, “A filha do rei” e “A minha vocação”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA