Cultura

Grupo Ouro Negro vence no Lubango

Pelo terceiro ano consecutivo, a província da Huíla não realizou o desfile oficial do Carnaval por escassez de recursos financeiros para reunir e atribuir prémios condignos aos grupos.

Grupo da Tundavala conquista Carnaval 2018 no Lubango
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla | Edições Novembro


O desfile informal do Lu-bango, promovido pela administração municipal, tem sido desde 2016 a alternativa para os grupos, os foliões e os amantes do Entrudo festejarem o Carnaval na praça João Paulo II.
A edição do Entrudo de 2018 foi salva pelo empenho na apresentação de danças tradicionais. Os concorrentes investiram fundos próprios para participar no desfile provincial.
O grupo Ouro Negro, apoiado pela administração do Bairro Comercial, venceu a presente edição na categoria de adultos, à frente do Esperança da comuna do Hoque, seguido pela União Filhos da Huíla.
A vitória do Ouro Negro foi reclamada por falhas na cronometragem do tempo de exibição e descontentamento pelo facto de participarem sem o conhecimento dos prémios para os primeiros classificados. />O Ouro Negro revalidou o título pela terceira vez consecutiva, fruto da organização, liderança, garra, indumentária, alegoria, harmonia e dança dos integrantes.
O comandante do grupo fundado em 2013, António de Brito, disse que participou com 180 foliões como resultado de um investimento de cerca de 180 mil kwanzas, contra os 20 mil dados pela comissão organizadora.
O grupo infantil Ndjina Elao-8 de Março, do Bairro da Chavola, venceu o desfile da categoria, seguido pelo Samora Machel, do Bairro Sofrio, que ficou com o prémio da melhor rainha, à frente dos Unidos Kandengues da Paz do Bairro Hélder Neto.
O Jornal de Angola apurou da comissão organizadora do Carnaval do Lubango que os prémios variam entre os 50 mil kwanzas para o primeiro classificado da classe infantil e 300 mil kwanzas para a categoria de adultos.

Tempo

Multimédia