Cultura

Guilherme Mampuya na Expo Macau 2018

O artista Guilherme Mampuya participa na 10ª edição da Semana Cultural da China e dos Países de Língua Portuguesa, a Expo Macau 2018, em representação de Angola, a ter lugar em Macau, a partir de terça-feira, no edifício do antigo tribunal, numa organização do Secretariado Permanente do Fórum de Macau.

Fotografia: DR

Além de espectáculos de música, dança e teatro, de vários países da lusofonia e não só, Guilherme Mampuya apresenta uma exposição individual de pintura, intitulada “Somos Estrelas” na Galeria de Exposições da avenida da Praia. Nesta mostra, o artista serve-se das doze figuras zodíacas, pintadas e compostas em 12 painéis em acrílico, para questionar a actuação dos homens no cosmo e por via disso tentar definir estratégias para manter o equilíbrio do universo.
A exposição do angolano é inaugurada no dia 13 do corrente mês e vai fazer-se acompanhar da colaboradora artística e gestora do Atelier Guilherme Mampuya, Celeste Mampuya. Com o foco virado no seu principal objectivo de promover o desenvolvimento e prosperidade mútua, nas mais variadas facetas, entre a China e os países de língua portuguesa, a semana cultural conta agora com dez anos de história.
“Somos Estrelas é uma alegoria, um apelo desesperado do universo aos hu-manos para colocarem as suas acções em uníssono com o equilíbrio cósmico. O efeito estufa é uma das consequências das práticas dos homens que têm de ser revertidas para salvar o planeta da seca extrema e das inundações”, disse o artista.
Mampuya viajou por mais de 30 exposições individuais e colectivas, tanto no país como no estrangeiro. Foi galardoado com o prémio Ens’Arte em 2008 e há dois anos que é proprietário da  galeria homónima  situada no Zango Zero, em Luanda.

Tempo

Multimédia