Cultura

História da luta armada levada ao espaço cénico

O grupo Feloma Musanzala apresenta no dia 3 de Fevereiro, às 20H00, na Liga Africana, em Luanda, o espectáculo de teatro “Kicola”, e no dia seguinte a peça “1961”, alusiva às comemorações do 4 de Fevereiro, data do início da luta armada em Angola.

Grupo procura preservar os hábitos e costumes dos indígenas
Fotografia: Edições Novembro

“Kicola”, uma peça que narra os choques culturais entre o tradicionalismo e o modernismo, desenrola-se no período colonial, mas que sofre alterações em função das transformações que se foram operando, com a chegada dos europeus em África, particularmente os portugueses.  

O aspecto mais relevante da peça, dá-se na década de 30 com a criação de escolas. Nesta altura o desenvolvimento económico inicia de forma sistemática, quando se incrementa a produção do café, sisal, cana de açúcar, milho e outros produtos agrícolas.

Com todas essas transformações no território angolano, alguns hábitos e costumes vão-se diluindo com o passar do tempo, o que vai dando lugar a vários conflitos ideológicos na localidade dos Dembos.

O soba Nga Kiando deixa-se influenciar pela cultura europeia, criando um descontentamento por parte dos habitantes da região, que não aceitaram ser assimilados, como forma de protesto às represálias para quem se furtasse a aprender a cultura europeia, particularmente a portuguesa.

Durante uma hora de espectáculo, os oito actores procuram realçar a importância da valorização da cultura local, preservando as línguas maternas como forma de transmissão de conhecimentos, através da oralidade, muito frequente entre as tribos africanas. 

No dia seguinte, o grupo Feloma Musanzala volta a pisar no mesmo palco da Liga Africana, às 20H00,  para apresentar o drama “1961”. Com duração de 45 minutos, é um espectáculo de teatro cujo enredo baseia-se no relato do início da luta armada contra o colonialismo português. As personagens narram o processo de tomada de consciência dos nacionalistas, o momento em que se levantam contra os opressores, rumo à Independência Nacional.

O grupo Feloma Musanzala foi fundado a 17 de Fevereiro de 2007, no Hoji-ya-Henda,  município do Cazenga, e tem como função promover actividades de carácter sócio-cultural e apresentar peças de teatro com pendor pedagógico.

 

Tempo

Multimédia