Histórias de Angola e Portugal em livro

Mário Cohen |
5 de Agosto, 2016

Fotografia: JAIMAGENS |

“Amável Pergunta - Crónica de um Assimilado” e “Singapura por Ceca e Meca” são os dois livros de José Manuel Pinto, apresentados hoje, às 19h00, no restaurante Luanda, próximo da Liga Africana, em Luanda.

O autor informou, ontem, ao Jornal de Angola, que os livros já foram apresentados, em Portugal. A ideia, explicou, é mostrar os elementos identitários de uma realidade que resultou da assimilação cultural e da evidente aculturação, que consumou as elites angolanas e portuguesas, carregadas de afectos desde o período colonial até à actualidade.
Os princípios que regem os valores humanos e culturais são o foco que o autor transmite através da sua escrita aos leitores, em duas extraordinárias aventuras entre a realidade e a ficção imaginária de cada uma das personagens dos livros.
“Amável Pergunta - Crónica de um Assimilado” retrata de forma singela o período crítico d os assimilados, numa viagem pelo campo da imaginação. As peripécias das personagens do livro, destaca o autor, relembram ao leitor as memórias históricas e sociais das ligações de Portugal e África.
“Assimilados somos todos. Todos assimilamos alguma coisa das antigas civilizações e cada um ousadamente idealista manifestava a sua condição de ser igual aos demais”, conta o presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora.
Delmar Gonçalves considera ainda o livro “uma abertura introdutória para uma leitura do mundo, num olhar que nos enriquece através da diversidade plural.
“Em Lisboa, África reviveu, revive e reviverá, por José Manuel Pinto numa forma subtil e feliz de contar, sussurrar e cantar os tabus da nossa existência enquanto sociedade, brincando de forma divertida e bem-disposta com ‘estórias’ da história de vida de um assimilado que nos unem e enchem de humanidade.”
Embora ficcionado, acrescenta, o livro faz um enfoque ao fenómeno “Portugalidade” de fronteiras culturais alargadas para os povos assimilados e demonstra o equívoco em que caiu a sociedade portuguesa actual, que procura resgatar o seu cariz mais europeísta.  A questão da “Lusofonia” também é analisada pelo autor nos dois livros, onde procura ainda explorar a riqueza da diversidade pluricontinental e cultural deste espaço, através de histórias singulares que fazem parte do património humano.
José Manuel Pinto informou que, durante as sessões de venda e assinatura de autógrafos e enquanto estiver em Luanda, pretende aumentar o intercâmbio com os leitores e os outros autores angolanos.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA