Cultura

Homenagem a Agnela Barros

Manuel Albano

O director-geral do CIT disse, ao Jornal de Angola, que Agnela Barros, figura ímpar do teatro angolano, pela sua formação académica, com um mestrado em Estudos de Teatro, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, vai ser homenageada durante a quarta edição do CIT, pelo contributo prestado à cultura nacional, fundamentalmente às artes cénicas.

Crítica de teatro Agnela Barros
Fotografia: Santos Pedro | EDIÇÕES NOVEMBRO

Agnela Barros intervem na actuação teatral (interpretação), produção e direcção artística, encenação, é docente e jornalista cultural, integra o júri de vários concursos de teatro. Foi premiada em diversos festivais e eventos, designadamente da Associação Angolana de Teatro, do Festival Internacional do Teatro do Cazenga e do Grupo Kussanguluka.
Estudou Filosofia, Direito e Sociologia mas optou pelas Línguas e Literaturas Clássicas, Modernas, Africanas e Crioulística. Licenciada em Estudos Portugueses, é mestre em Estudos de Teatro.
Actualmente, é doutoranda em Antropologia, na especialidade de Religião, Ritual e Performances. Começou a fazer teatro na escola primária e, posteriormente, seguiram-se várias formações em Portugal e no país, destacando-se a efectuada com o professor cubano Ignacio Gutierrez. Fez parte do grupo de teatro Nzogi. Escreveu a peça “Quando murcham as acácias”, representada nos anos 90. Traduziu a peça “La paix”, montada pelo francês Henri del Camp.

Tempo

Multimédia