Homenagem da LAC ao fotógrafo Cinquenta


21 de Setembro, 2014

Fotografia: Jornal de Angola

O músico Paulo Flores, autor de sucessos como “Boda”, “Clarice”, “Coisas da Vida” e “Sassasá”, foi o grande homenageado na sexta-feira à noite, no espectáculo que marcou a final do 17º Festival da Canção de Luanda, realizado pela estação radiofónica LAC.

Realizado na Baía de Luanda, sob a bênção da Kyanda, o espectáculo foi marcado por vários momentos de emoção. Desde a escolha do vencedor entre dez concorrentes que interpretaram temas de Paulo Flores ao musical “A voz, a câmara e o saxofone”, assinado por Filipe Zau e Filipe Mukenga, em homenagem ao humorista e cronista Beto Gourgel, o saxofonista Sanguito e ao repórter fotográfico Paulino Damião.
O júri, presidido pela jornalista e administradora da Edições Novembro, Sara Fialho, escolheu Osvaldo Vicente, com o tema “Clarice”, para ser o grande vencedor da 17ª edição do Festival da Canção da LAC, enquanto Fausto Fortes,  com o tema “Está a chegar a hora”, foi distinguido como a melhor voz pelos ouvintes.
Formatado com o propósito de descobrir novos valores na música, com destaque para compositores e cantores, o Festival da Canção da LAC-Luanda Antena Comercial tem procurado inovar, nas últimas edições, ao associar a encenação à canção.
Desta vez brindou o público com o musical “A voz, a câmara e o saxofone”, com o grupo Kilandukilu. A encenação, dramaturgia e coreografia esteve a cargo de Luís Moreira. Filipe Zau falou, na ocasião, sobre a ligação dos homenageados e sobre os pontos de contacto na trajectória de cada um, desde o drama na infância durante o período colonial ao casamento com a arte. Filipe Zau também destacou a forma como a vivência de cada um dos homenageados influenciou a projecção da carreira dos filhos. O pintor Lino Damião fez um depoimento emocionado sobre a influência do pai Paulino Damião “Cinquenta”, na sua carreira.
O espectáculo terminou com o grande homenageado em palco. Chamado para anunciar o concorrente vencedor, Paulo Flores viu-se obrigado a atender ao pedido do público para que cantasse. Considerado um dos expoentes da música angolana, Paulo Flores completa 26 anos de carreira, tem 17 álbuns publicados e dezenas de participações em obras de artistas nacionais e estrangeiros.
Concorreram ao grande prémio da 17ª edição do Festival da Canção da LAC os candidatos Mamaro Capaça, com o tema “Festão”, Osmar dos Santos, com “Mana Xiquita”, Miguel Costa, “Coisas da Terra”, Wiviny Brás, “Minha Vela”, Cedrick Mamona, “Boda”, Osvaldo Vicente, “Serenata Angola”, Micaela Correia e Márcia Augusto, “Clarice”, Ruth e Margarida, “Poema do Semba”, Fausto Fortes, “Está a chegar a hora”, e Euritce com “Ainda o país que nasceu meu pai”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA