Horizonte encerra com chave de ouro

Adriano de Melo |
26 de Dezembro, 2014

O encenador do Horizonte Njinga Mbande, Adelino Caracol, disse ontem ao Jornal de Angola que o colectivo encerra o ano com um balanço positivo, por ter conseguido concretizar a maioria dos seus projectos artísticos e de formação.

Para o responsável, a realização dos cursos, que contaram com vários professores, e o intercâmbio estabelecido com algumas instituições de artes internacionais, em especial do Brasil, Espanha ou África do Sul, é um dos ganhos significativos do grupo em 2014.
Adelino Caracol destacou ainda como um factor essencial, o facto deste ano terem conseguido estabelecer uma parceria, pela primeira vez, com professores de Espanha.
Apesar das vicissitudes financeiras, confessa, o Horizonte conseguiu também manter o seu projecto artístico com exibições regulares, na sua sala de espectáculos, aos finais de semana. “Não é fácil aguentar um ano com problemas e manter uma sala cheia ou os actores motivados. Mas conseguimos e por isso o ano foi positivo e ainda fechámos com chave de ouro com a entrega de diplomas aos formandos dos cursos de operador de câmara, vídeo e actores”, destacou
Outro ganho do colectivo, explicou, é o grupo de teatro infantil do Horizonte, que já tem as suas bases sólidas e é apresentado ao público, oficialmente, em Março do próximo ano.
“O grupo infantil começou como um projecto para dar uma nova dinâmica a este género, assim como criar uma ‘forja’ adequada de futuros actores. Se antes era uma incerteza a sua afirmação, agora é uma certeza e mais um dos bons projectos do grupo”, justificou.
Além das estreias previstas para o próximo ano, o colectivo de teatro está a trabalhar, há meses, num musical, intitulado “Angola 40 Anos”, para apresentar em Setembro.
A materializar a ideia, adiantou Adelino Caracol, foi criado um grupo de artistas angolanos, composto por actores, cantores, dançarinos e cenógrafos, que vão ajudar a dar mais abrangência ao musical.
“Queremos fazer algo grandioso, que não vamos limitar somente ao público de Luanda, se pudermos. A ideia é mostrarmos, sobre vários pontos de vista, o que foi e é o país, ao longo destes anos, num espectáculo a ser exibido durante dois meses. É também uma forma de mostrar aos jovens a luta de um país que almeja o desenvolvimento”, disse o encenador.
O musical “Angola 40 Anos”, acrescentou, começa com o período da colonização do país e conta uma parte da História da luta de libertação nacional até à Paz. Os temas a serem abordados, adiantou, incluem os ligados à cultura, educação e as transformações da própria sociedade. “Temos a maioria do projecto montado, apesar de ainda estarmos a buscar mais apoios, pela sua grandiosidade”, acrescentou.

Espectáculos de teatro

O Horizonte Njinga Mbande apresenta hoje, às 20h30, e amanhã e domingo, em duas sessões, uma às 19h45 e outra às 21h30, o espectáculo “A sogra”, uma comédia sobre os problemas familiares causados pelos relacionamentos.
O espectáculo de teatro faz um enfoque à figura da sogra, tida em muitos lares como alguém problemática, mas com uma pitada de sátira e vários conselhos sobre como deve ser o relacionamento familiar.
O objectivo, defende Adelino Caracol, não é agir como terapeuta ou ensinar as pessoas o que é certo ou errado, mas sim mostrar os vários pontos de vista de um “problema”, numa perspectiva analítica e simples.
“O teatro é uma arte com um forte pendor educativo. As pessoas vão assistir às peças e conseguem rever-se nalgumas. Portanto é preciso ter cuidado com o teor da mensagem a ser transmitida e dar um toque de sensibilidade ao espectáculo, particularmente nesta época natalícia, onde toda a família precisa de estar unida”, rematou Adelino Caracol.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA