Cultura

Igreja de Lândana mantém originalidade

A reconstrução da Igreja de São Tiago Maior da Missão Católica de Lândana, em Cabinda, que desabou em Abril em consequência do estado avançado de degradação, vai ter início brevemente, mantendo a sua traça original, anunciou na quarta-feira, naquela província, a ministra da Cultura.

Igreja de São Tiago Maior de Lândana depois de desabar
Fotografia: Rafael Tati | Edições Novembro

Carolina Cerqueira, que falava à imprensa no final de uma visita a edifícios culturais, sítios, monumentos e locais turísticos, revelou que está a ser efectuado um estudo para descobrir o tipo de material usado na construção da igreja, para seguir o mesmo padrão.
Segundo a ministra, o estudo conta com a parceria do Governo de Cabinda, por se tratar de um património histórico nacional, convindo preservar a sua identidade. Carolina Cerqueira afastou a ideia da construção de uma nova igreja, garantindo que tudo vai ser feito para reconstruir o edifício.
Por sua vez, o pároco Eugénio Cassoma referiu que o edifício apresentava fissuras profundas na parte frontal, tendo manifestado confiança nas autoridades, que já se comprometeram em reconstruir a igreja.
O padre adiantou que os fiéis aguardam pelo início da obra e a consequente entrega à Igreja Católica, para voltarem a usufruir da paz espiritual no referido local.
Com 145 anos de existência, completados no próximo dia 25, a Igreja de São Tiago Maior de Lândana foi classificada como património cultural nacional em Julho de 2013.
Fundada em 1873 por padres Franciscanos, é considerada a primeira missão de evangelização católica na região Austral de África.

Tempo

Multimédia