Cultura

Igrejas são advertidas pelas transgressões

Roque Silva

A Comissão Administrativa da Cidade de Luanda recebe dos cidadãos cinco denúncias por mês sobre transgressões administrativas cometidas pelas igrejas, informou, on-tem, o director Municipal da Cultura e Turismo do município de Luanda.

Manuel Gonçalves, que falava à margem de um en-contro com líderes religiosos, na Administração Municipal do Rangel, disse que a poluição sonora e a construção sem autorização continuam a ser os principais actos de violação das igrejas. Considerou haver ainda a falta de cultura de denúncia porque são frequentes as queixas através dos meios de comunicação social e redes sociais, que são sítios onde muitas vezes os cidadãos acorrem ao invés das administrações municipais e polícia. Mas após a denúncia do facto deve ter o cuidado de averiguar porque muitos são os casos de luta de interesses entre cidadãos e igreja.
Revelou ainda que as transgressões surgem muitas vezes de paróquias afectas a algumas igrejas legais sem o conhecimento e autorização das administrações municipais, um acto que considera reprovável. Os distritos da Maianga, do Rangel, Cazenga, Sambizanga e do Ngola Kiluanje são conhecidos por albergarem o maior número de igrejas e por conseguinte são os locais em que mais se verificam crimes de transgressão administrativa e problemas de vária ordem, como litígios entre moradores e igrejas. Segundo Manuel Gonçalves, os distritos acima referenciados albergam todas as 81 igrejas reconhecidas e as mais de 1300 por legalizar pelo Ministério da Justiça.
               

Tempo

Multimédia