Cultura

Imprensa recorda polémica do nu

A imprensa brasileira divulgou ontem no site “Isto É” um dos diversos episódios ocorridos este ano que foram motivo de polémica no universo da arte performativa, entre artistas e espectadores nos espaços em exibição.

Fotografia: Sputnik

Em 2017, refere o site, a arte performática somou episódios polémicos e marcantes, sendo o maior “La Bête”, apresentada, em Setembro, pelo coreógrafo Wagner Schwartz, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em “La Bête” um vídeo arte, vê-se uma criança a tocar o artista nu, na perna e na mão, o que gerou críticas e acusações de pedofilia nas redes sociais. O museu indicava aos visitantes o conteúdo da performance e que a criança supostamente estava no local com a mãe.
No mês de Julho, o artista e “performer” Maikon Kempinski foi detido pela Polícia Militar do Distrito Federal enquanto apresentava “DNA de DAN”, ao lado do Museu Nacional da República. Maikon Kempinski foi preso sob a justificação de “acto obsceno” e assinou um termo circunstanciado que regista infracções com menor potencial ofensivo.

Tempo

Multimédia