Indústria fonográfica em debate


26 de Junho, 2016

Fotografia: DR

A Universidade de Aveiro, em Portugal, realiza de 7 a 9 de Julho na cidade de Aveiro, o congresso “Música e Lusofonia em Acervos 78 rotação por minutos (rpm)”, para que se encontrem saídas para aspectos técnicos de digitalização e conservação de colecções sonoras.

O congresso “Música e Lusofonia em acervos de 78 rpm”  junta  pesquisadores, arquivistas, críticos musicais, produtores e responsáveis por instituições públicas e privadas dos países lusófonos que possuem um património de discos em 78 rpm.
Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal, membros da CPLP, são os países que  participam neste primeiro congresso.
Entre os temas em discussão, “Diálogos e a circulação de acervos pertencentes aos Estados”, “Práticas e políticas públicas sobre acervos do tipo 78 rpm”, “As conexões com a indústria fonográfica” e “A importância das rádios”.
O programa  inclui um painel dedicado ao conhecimento científico dos objectos fonográficos e o papel dos coleccionadores. Além dos arquivos em 78 rpm, há uma abordagem sobre  arquivos discográficos e fonográficos de forma geral.
Um dos objectivos é encontrar modelos de interacção entre os responsáveis pelos mais relevantes acervos fonográficos registados nos países participantes, bem como obter contribuições para que seja criado um portal digital de acervos lusófonos em 78 rpm de grande dimensão. De acordo com a organização, a invenção do fonógrafo, em fins do Século XIX, “constituiu uma revolução na prática musical, contribuindo para a disseminação e quebra de fronteiras entre práticas sonoras de diversos continentes”, e que “o surgimento de uma indústria fonográfica, a partir da primeira década do Século XX, consolidou esta dinâmica, acentuando a formação de géneros musicais transnacionais”, lê-se nos documentos do congresso, que tem apoios da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação para Ciência e Tecnologia.
O congresso, cujas inscrições terminaram em Março, conta  com a parceria do Instituto de Etnomusicologia-Centro de Estudos em Música e Dança (INET-MD) e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).
Em África, Angola e Cabo Verde possuem um vasto arquivo de LP, 45 rpm, 78 rpm, CD, e noutros formatos, em conservação na Rádio Nacional de Angola, e na Rádio de Cabo Verde.
Em Novembro, a Universidade de Aveiro, que tem vindo a realizar encontros sobre música, desde 2013, vai  organizar o VI Encontro de Investigação em Música (ENIM 2016), entre os dias 3 e 5 de Novembro. Aberto aos investigadores de todos os países do mundo, os intressados devem apresentar as suas propostas de comunicação submetidas numa das línguas oficiais do ENIM, entre as quais português, inglês ou castelhano.
 Segundo a organização, são aceites também propostas de painéis com três a quatro oradores (no máximo) em torno de um mesmo tema, desde que sejam relevantes no âmbito da investigação em música.
As propostas, refere a organização no site, devem ser submetidas através do envio de um resumo em português, inglês ou castelhano, tendo 20 minutos de duração.
O painel não pode exceder a duração de uma e 30 minutos, incluindo o tempo de debate.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA