Cultura

Instituição aposta na mudança social

O Museu dos Reis do Kongo deve tornar-se numa instituição capaz de contribuir para a mudança social e para o desenvolvimento da região, afirmou o director nacional dos Museus, do Ministério da Cultura.

Ziva Domingos advogou, em declarações à Angop, o estabelecimento de parcerias entre a direcção do museu e operadores económicos, turísticos e a sociedade científica que respondam a esse desiderato.
O director, que teceu tais considerações à margem da palestra que orientou subordinada ao tema “O contributo do Museu do antigo Reino do Kongo no desenvolvimento da região Kongo”, disse constituir um desafio do ministério de tutela a conclusão do projecto do futuro estatuto deste depositário do acervo ancestral. O futuro estatuto prevê a mudança de categoria de Museu dos Reis do Kongo para Museu do Antigo Reino do Kongo, abrangendo toda a diversidade do património material e imaterial produzido naquela época (desde o século XIII).
Para o efeito, Ziva Domingos disse ser necessário que se crie parcerias viáveis para a investigação, recolha e resgate de todo este património, bem como a construção de um novo estabelecimento que represente realmente a verdadeira dimensão do antigo Reino do Kongo, factores determinantes para atrair mais visitantes e contribuir para a arrecadação de receitas para a região e o país.
O Centro Histórico de Mbanza Kongo foi inscrito, em Julho último, na lista do Património Mundial da Unesco, por força do valor universal excepcional do seu património material e imaterial.

Tempo

Multimédia