Intrigas laborais são narradas no cinema

Kindala Manuel |
5 de Agosto, 2014

Fotografia: Cedida pelo realizador

"Coração do Homem" é o título da longa-metragem do realizador Berten, a ser estreado no dia 9 deste mês no Cine Place, no Belas Shopping, em Luanda, cujo enredo gravita em torno de intrigas, invejas e perseguições laborais.

A longa-metragem foi produzida pela Palan-Filme e é um misto de acção e drama, com duração de hora e meia, tendo sido rodada o ano passado em vários pontos de Luanda, com um elenco composto por 32 actores e vários figurantes, recrutados de várias produtoras nacionais.
“Coração do Homem” retrata a história de dois amigos de infância, Alex e Cardoso, que crescem no mesmo bairro e partilham tudo como dois verdadeiros irmãos.
Depois de concluírem o ensino médio, Alex viaja para a Europa com a finalidade de continuar a formação. Enquanto Alex apostava na formação, Cardoso levava uma vida despreocupada e 12 anos depois, já formado, Alex regressa ao país e procura o seu amigo de infância, para ajudá-lo a conseguir emprego.  Cardoso consegue uma vaga na mesma empresa em que funcionava o amigo. Passado algum tempo e pela sua dedicação, Alex é promovido a chefe de Departamento dos Recursos Humanos, o que enfurece Cardoso.
Ao ver o amigo ascender no emprego, Cardoso planeia assassiná-lo. A inveja e o ódio desmedido de Cardoso aumentam cada vez mais, transformando a vida de Alex num autêntico terror, com acções de perseguições e sequestro da família. Berten disse que o filme deve ser exibido também noutras salas da capital e em algumas províncias, fruto de um convénio entre a produtora Palan-Filme e a direcção do Cine Place. O convénio prevê igualmente a exibição do filme no exterior, ainda este ano, com destaque para Brasil, Portugal, Estados Unidos, Espanha, França, Cabo Verde, Moçambique, Congo Democrático, São Tomé e Príncipe, Burquina-Faso, África do Sul e Nigéria.
“Coração do Homem”, que participa este ano no Festival Internacional de Cinema de Luanda - FICLuanda, a realizar-se em Novembro, contou com a colaboração de Lucas Lutucuta, director de fotografia dos filmes “Windeck” e “Rainha Ginga”, da Semba Produções, e assistentes de realização recém-formados no Brasil.

Historial do realizador

Berten Júnior Wete “Berten”, 29 anos, é formado em realização e editor profissional de imagem em França e Bélgica. Fez o seu primeiro filme em 2011, com o título “Viva Riva”, uma co-produção entre Angola e Congo, que retrata o tráfico de combustível nas fronteiras dos dois países. O filme participou em 2011 no Festival de Berlim, onde ganhou o prémio de Melhor Filme Africano. No mesmo ano, participou no Festival de Toronto, arrebatando sete troféus, entre os quais o de Melhor Filme Africano, Prémio MTV e Prémio de Ficção.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA