Cultura

Jardel Selele expõe "Rostos e Traços"

Roque Silva |

Jardel Selele aposta na divulgação da cultural nacional e da representação da figura humana, na primeira exposição de artes plásticas denominada “Rostos e Traços” que é inaugurada na sexta-feira, às 18h00, na Galeria Tamar Golan, localizada na rua Rainha Ginga, em Luanda.

Obras do artista mostram imagens em que o ser humano um revestimento de madeira
Fotografia: Edições Novembro

O estudante do Complexo de Escolas de Artes (CEARTE) apresenta 25 quadros, entre os quais três deles saltam à vista e se destacam por representarem parte da identidade cultural.
As obras têm como título “Identidade Cultural” e transportam desenhos da população mucubal e mumuíla, como forma de divulgar as potencialidades multi-étnicas do povo angolano.
Jardel Selele traz um estilo próprio, onde os quadros apresentam imagens em que o ser humano é revestimento de madeira.
A proposta inovadora do artista traz desenhos de pessoas feitos com palhas, discos e trapos de peças de roupas, cujas bases são contraplacados.
Os traços que representam os rostos das pessoas ganham vida e transmite movimento a exposição, que fica aberta ao público até ao dia 24 de Julho, onde as cores usadas são as que caracterizam a figura humana. As telas foram pintadas com técnicas mista, e com vários tipos de tinta de óleo e clássica.
Jardel Selele disse ao Jornal de Angola que a exposição é inclusiva, pois aborda dentre outros assuntos de natureza social, educativa e religiosa. O quadro intitulado “Carência”, faz as pessoas reflectirem sobre a realidade afectiva entre elas e sobre a situação financeira que o país enfrenta.
Com apenas 21 anos e com um significativo número de participações em exposições colectivas, o artista se destacou em algumas mostras, com destaque para “Coopearte”, realizadas na Galeria Celamar, edições 2011, 2012 e 2013, “Dinâmicas Juvenil”, na UNAP em 2014, “Plasticidades Angolanas”, no âmbito da Fenacult 2015, na Baía de Luanda, e no 4º Congresso extraordinário do MPLA, no Centro de Convenções de Talatona. Participou em 2015 na primeira edição da exposição “Unir Jovens”, na UNAP, presença que se repetiu em 2016, na segunda edição. Os visitantes das três edições do projecto “Maratona dos Artistas”, no qual é director artístico, na Baia de Luanda e no Centro Cultural Brasil-Angola, “Mulheres Unidas no Desenvolvimento de Angola”, no Memorial Dr. António Agostinho Neto, “Pintura do Mural do Rocha Pinto”, Avenida 21 de Janeiro, e a “Expo Angola 41 Anos”, já tomara contacto com o trabalho de Jardel Selele.

Gosto pelo desenho

Natural de Viana, província de Luanda, onde nasceu aos 10 de Agosto de 1996, Jardel Selele manifestou o gosto pelo desenho desde  tenra idade, tendo começado a esboçar os seus primeiros traços com o irmão mais velho, David Selele. Frequentou as primeiras aulas de desenho artístico aos 13 anos, com o artista plástico Evadilson José Ferreira. Integrou um ano depois o Atelier Celamar, onde aprendeu com artistas já conceituados como Eduardo Vueza, Zeca Lukombo, Paulo Kussy, Marcela Costa, José Jão, João Jorge, Alves Manuel, Armando Scoot e Aristóteles Sanza André.
Concluiu o ensino médio de Construção Civil,  na especialidade de desenhador projectista e entrou em 2015 para a Escola de Artes Plásticas  do Complexo das Escolar de Artes (CEARTE). Jardel Selele é membro da Brigada Jovem de Artistas Plásticos (BJAP) e do projecto Caderno de Artes na Escola.
Com essa exposição de pintura, a Galeria Tamar Golan prossegue a missão de  apostar nos jovens talentos das artes plásticas em Angola, dando a conhecer ao grande público, com exposições individuais, mais um artista plástico nacional desconhecido.

Tempo

Multimédia