Jardim do livro infantil com milhares de obras

Roque Silva |
27 de Junho, 2014

Fotografia: Paulino Damião |

A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, disse, ontem, na Praça da Independência, em Luanda, que o Jardim do Livro Infantil é um mecanismo de execução da política de promoção da leitura, aprovada pelo Executivo, por o livro estimular uma melhor cidadania.

No discurso de abertura da sétima edição da iniciativa, que decorre em simultâneo nas várias províncias do país, sob o lema “Ler é saber, ler é crescer", a ministra pediu um maior esforço no sentido de o livro ocupar um lugar central no processo de desenvolvimento do indivíduo.
Os livros, disse, são uma via, não só de educação estética, mas também de transmissão dos valores cívicos, éticos e de preservação do património histórico e cultural. O jardim, destacou, pretende contribuir para a formação integral das crianças, com base nos valores da cultura angolana.
A iniciativa tem dado sinais positivos e prevê-se uma dinâmica crescente, devido à parceria com os governos provinciais. “É com enorme satisfação que retornamos a esta festa para as crianças", salientou.
O governador de Luanda, um dos convidados do acto de abertura, disse que o projecto contribui para o processo educativo e desenvolvimento da criatividade infantil, a educação estética e o hábito de leitura das crianças. Para Bento Bento, trata-se de um espaço de reconhecimento dos escritores que se dedicam às crianças através dos livros. “É também uma oportunidade para os país, encarregados de educação e professores participarem mais na formação das crianças", disse.
O governador anunciou a participação, pela primeira vez, de algumas crianças de instituições dos municípios da Quiçama e de Icolo e Bengo. “É mais uma iniciativa a pensar no cumprimento dos 11 compromissos com a criança", justificou.
No acto de abertura foi também entregue o Prémio Jardim do Livro Infantil 2014 ao representante da autora Cynthia Perez, pelo livro “Música do Coração", um diálogo entre filho e mãe, sobre o amor e a dedicação entre ambos.
A cerimónia de abertura contou ainda com espectáculos do grupo carnavalesco Cassules Sagrada Esperança, da banda Chá de Né, dos cantores Lavínia Kifen, Gegé Kuia Bué, Palhaço Santolas, Tininha, dos grupos Ballet Infantil, Mini Yaka e As Conchinhas do Mar.
Mais de 500 crianças de escolas públicas, de centros, lares e organizações infantis assistiram ao acto de abertura.
O programa inclui o lançamento hoje, às 10h00, do livro “Esquilo super-rápido", de Cremilda de Lima. Às 11h00 são realizados espectáculos de teatro, dança e música. Minutos depois realiza-se o Jango da Palavra, com um debate sobre o tema “A importância do Livro e da Leitura para as crianças".

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA