Cultura

Jofre Rocha homenageado na UEA

Mário Cohen

A dimensão cultural, humana e política do escritor Jofre Rocha foi revisitada, na quarta-feira, no habitual debate na União dos Escritores Angolanos (UEA), em Luanda, por familiares, amigos, colegas e companheiros de prisão, na cadeia PIDE-DGS, no tempo colonial.

Escritor (ao centro) foi distinguido pelo contributo à literatura

Jofre Rocha aproveitou a homenagem da UEA, da qual já foi secretário-geral, para destacar o contributo que prestou ao desenvolvimento da literatura nacional. “É uma honra para a UEA distinguir um escritor que interveio na vida cultural do país através de produção literária”.

A cerimónia teve início com a abertura de uma exposição fotográfica, retratando a vida e obra do homenageado, à entrada da UEA, seguida de depoimentos de escritores, familiares e companheiros de prisão.
Para Virgílio Coelho, um dos escritores chamado a dar depoimento sobre o autor de “60 Canções de Amor e Luta”, o reconhecimento do contributo de Jofre Rocha em prol da literatura angolana não deve ficar apenas pela homenagem, mas proporcionar a circulação da sua obra no mercado, com reedição, para o conhecimento da nova geração.
Apesar de não ser escritor e nem saber escrever, como assumiu, Lopo do Nascimento disse que a sua relação com o homenageado é através da política. “É um grande camarada, humano e com uma inteligência de invejar”, disse.
Hermínio Escórcio, amigo e companheiro de prisão, considerou Jofre Rocha “um indivíduo que sempre fez chegar seu saber às outras pessoas. Essa honra é merecida pelo seu contributo e a produção de bons livros que colocou no mercado”.
Para o secretário-geral da UEA, David Capelenguela, Jofre Rocha não é apenas um simples escritor é, também, membro fundador da primeira instituição cultural criada na Angola pós-independência, e um dos autores que contribuiu muito para o desenvolvimento da literatura nacional. “Os primeiros textos literários de Jofre Rocha começaram a ser produzidos e publicados a partir da cadeia onde estava em companhia de outros nacionalistas como Mário Torres, Hermínio Escórcio, entre outros”.
O presidente da mesa da assembleia-geral da UEA, Luís Kandjimbo, entregou a Jofre Rocha, pseudónimo literário de Roberto de Almeida, um certificado de mérito em reconhecimento ao contributo do escritor em prol da literatura angolana.

Tempo

Multimédia