Cultura

José Sona convenceu o júri do Festival de Música Popular

O concorrente de Malanje, José Sona, venceu, sábado, em Caxito, capital do Bengo, a edição 2017 do Festival Nacional de Música Popular Angola (Variante).

Cantores premiados no concurso nacional exibem o certificado, na final da gala realizada pelo Ministério da Cultura, em Caxito
Fotografia: Venceslau Mateus | ANGOP

Trata-se da vigésima quarta edição do Variante, em que José Sona obteve 123 pontos. De 20 anos de idade, o vencedor interpretou a música “Kale Bhabha”, tendo superado 17 candidatos, representantes de outras províncias.
Como prémio, José Sona recebeu 450 mil kwanzas, um diploma e uma bolsa para um curso de música no Complexo das Escolas de Artes (Cearte), em Luanda.
O segundo lugar ficou para o representante do Cuando Cubango, Abias Kativa, ao interpretar “Kalunga”, e recebeu um diploma, 350 mil kwanzas e, também, tem direito a frequentar o curso de música no Cearte.
O terceiro lugar foi ocupado pelo representante do Bengo, Carlos Gregório, com a música “Tude ke wisi kuamoneka”, tendo recebido um diploma, 250 mil kwanzas e a bolsa para o curso de Música no Cearte.
Falando à Angop, no final do concurso, José Sona afirmou que a final permitiu aos concorrentes exibirem as suas qualidades relativamente à música popular de cada província.
O cantor de Malanje disse estar satisfeito por ter conquistado o primeiro lugar na competição e assegurou que vai continuar a trabalhar para as próximas edições.
Abias Kativa, da província do Cuando Cubango, disse estar feliz por conquistar o segundo lugar, resultado que alcançou no concurso de 2014.
Carlos Gregório, do Bengo,  que participou pela primeira vez, elogiou a organização e o calor do público.
O concurso é anual, organizado pelo Ministério da Cultura, sendo o presidente do júri o escritor António Fonseca. O Variante visa estimular a criatividade dos artistas, promover e preservar a identidade cultural no domínio da música e encorajar o sentimento de unidade nacional e de solidariedade geracional.
O Variante constitui uma iniciativa para despertar novos talentos e incentivar a actividade artística das jovens gerações. O concurso permite, ainda, criar uma oportunidade para os artistas locais afirmarem-se no mercado nacional, contribuindo para a divulgação dos valores culturais e promover o desenvolvimento das indústrias culturais.

Histórico do Variante
Entre 1984 e 1986 o concurso realizou-se sem carácter competitivo. O cantor e compositor Mito Gaspar destaca-se, entre os vencedores, com três títulos conquistados, nas edições de 1987, 1988, 1989 e 1990.
O Trio Vikeya (em duas edições), e Madalena Tchitembo, representantes de Benguela, Man Beto, do Cuanza Sul, Sabino Henda, Zé do Pau, Matias Damásio, Sandra Cordeiro, Carlos Daniel e Kiaki Kadafi, em representação da província de Luanda, estão entre os vencedores do Variante.
O concurso nacional, também, já foi conquistado por Leonel Dimbulukeni, do Cunene, Solange Nery e Josefina Wini, de Cabinda, Duo Carlos Kamba, Edna Mateia e Lili Vasconcelos, do Huambo, Sandra Domingos, da Lunda Sul, Roque Pedro Vicente, do Cuando Cubango, e Esperança António, do Namibe, também já conquistaram o galardão de vencedor do Festival de Música Popular Angolana “Variante”, que no período 1992 a 1999 não se realizou por razões de conflito armado, pós eleitoral.

Importância do Variante
O secretário do Estado da Cultura para as Indústrias Culturais e Criativas, João Constantino, destacou, sábado, em Caxito, a importância da realização do Festival de Música Popular Angolana “Variante 2017” para a descoberta de novos talentos. João Constantino, quefalava no final do concurso que contou com a participação de 18 concorrentes de 17 das 18 províncias do país, afirmou que o Festival de Música Popular “Variante”, por mérito próprio, ganhou o seu nome e marca no país.
Lamentou o facto de os empresários não alinharem com a iniciativa do governo, pois estes eventos deveriam ser promovidos pelo sector privado, contando com apoio do Executivo.
O responsável espera que os produtores encarem o Variante na vertente de negócio, para que as próximas edições do certame sejam realizadas pelo empresariado.
O vice-governador do Bengo para o sector Político e Social, António Martins, enalteceu a forma organizada como decorreu o evento, com muito valor cultural e acima de tudo com muita vitalidade.
António Martins disse que um evento daquele género permite descobrir novos talentos e aproveitou o momento para exortar os jovens a participarem nas próximas edições do Variante.

Edição 2017
José Sona, de Malanje, ganha com “Kale Bhabha”
450
Prémio conquistado pelo vencedor (Kz. 450.000.00)

2 º Lugar

Abias Kativa
do Cuando Cubango
3º Lugar
Carlos Gregório
do Bengo

1984
Criação do concurso
pelo Ministério da Cultura

3 (títulos)
Mito Gaspar, o mais premiado
2 (títulos)
Trio Vikeya, de Benguela
6 (prémios)
Luanda, província mais
premiada

Tempo

Multimédia