Cultura

Jovens do Prenda celebram 50 anos no campo do Felício

Manuel Albano

O agrupamento Os Jovens do Prenda celebra este ano as bodas de ouro com várias actividades culturais, a partir de amanhã, com a realização de um espectáculo, às 17h30, no campo do Felício, no bairro Prenda.

Fotografia: DR

António Imperial “Baião” disse, ontem, ao Jornal de Angola, que há um vasto programa  para saudar os 50 anos de existência de Os Jovens do Prenda. Informou que tudo começou com a homenagem ocorrida no dia 23 de Setembro, no Centro Cultural e Recreativo Kilamba, no âmbito do programa “Muzonge da Tradição”.
O também director artístico do grupo adiantou que as actividades começam às 16h00, com uma festa semelhante ao “Kutonoca”,  em que vai ser apresentada a história do grupo incluindo a dos antigos integrantes.
Uma hora depois, às 17h00, acontece o assalto do grupo carnavalesco União 54, que durante 30 minutos  desfila ao ritmo do semba, estilo que o grupo preserva desde  a fundação, em Março de 1954.
Depois, os artistas sobem ao palco para fazerem a primeira  actuação de aproximadamente duas horas. De acordo com o programa, vai ser feita a entrega de diplomas aos integrantes do grupo, às 20h30, o agrupamento regressa ao palco dando continuidade ao alinhamento musical a segunda parte, que se prolonga até às 22h30.
“Baião” disse que ao longo das cinco  décadas de existência houve momentos altos e baixos, ultrapassados com diálogo entre os integrantes. Agora a dimensão do grupo é a de uma orquestra de que fazem parte três gerações, num total de 17 pessoas.
Na sequência das actividades alusivas às cinco décadas do grupo, está previsto para o dia 28, no espaço Paz Flor, na Samba, um convívio com actuações e homenagens aos integrantes do grupo. Na passada sexta-feira, 12, realizou-se uma missa de acção de graças, na Igreja de São Pedro, no bairro Prenda, onde foram recordados os artistas falecidos.

Grupo mais unido
O grupo volta a ter apenas uma única denominação, depois da formação de uma segunda “ala”, em 2010, altura em que alguns integrantes deixaram os Jovens do Prenda, que foi formado em 1968, com a designação Os Gloriosos do Prenda.  Estiveram na base da formação dos Gloriosos do Prenda os cantores Chico Montenegro e Didi da Mãe Preta.
Cinquenta anos depois da criação, por Chico Montenegro, Didi da Mãe Preta, Tony do Fumo, Augusto Chacaya, Kangongo, Mingo e Verry Inácio, o agrupamento musical continua a ser uma das principais referências da Música Popular Angolana.
Detentor de um rico repertório, no qual se destacam os temas “Tendinha”, “Seguida de desespero”, “Chiquita”, “Nguenda nyubeka” , “Longa marcha”, “Majame”, “Samba samba” e “Nova cooperação”  entre outras que tem provocado um alvoroço entre as pessoas nos palcos por onde actua, o agrupamento, que já vai na sua terceira geração, continua fiel à linha rítmica e melódica.
O agrupamento  surgiu no panorama nacional em 1968, no bairro do Prenda,  e foi um dos primeiros conjuntos  angolanos a ter reconhecimento a nível internacional.

Tempo

Multimédia