Júri defende maior inclusão dos artistas

Roque Silva |
5 de Junho, 2015

Fotografia: M. Machangongo |

O presidente do júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes defendeu ontem, em Luanda, a criação de uma base de dados sobre as actividades artísticas, por forma a tornar a distinção mais abrangente aos criadores de todo o país.

António Fonseca disse que  a criação da base de dados torna o prémio mais inclusivo e permite um maior incentivo aos criadores nacionais.
O  presidente do júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes considerou importante o empenho dos artistas, promotores e das Direcções Provinciais da Cultura para garantir a movimentação do prémio, que homenageia e incentiva o génio criador.
António Fonseca instou os criadores e agentes culturais a entregarem propostas ao seu secretariado, localizado no Ministério da Cultura, até Setembro. A organização mantém o prémio de 3.500.000,00 kwanzas para os vencedores.
O presidente do júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes acrescentou ser fundamental para o trabalho do júri que os editores cumpram com a Lei do Depósito Legal, nos termos da qual devem fazer chegar exemplares das suas propostas à Biblioteca Nacional.
“A nossa maior dificuldade é ter informação do que se faz no país. Por isso chamamos as Direcções da Cultura para impulsionar os criadores”.
O presidente do júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes informou que a entrega dos trabalhos com antecedência possibilita uma apreciação ao pormenor dos obras e garante maior qualidade do prémio. A Comissão de Júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes foi renovada e passa a ter dois elementos por categoria, de acordo com o despacho n.º 136/15, de 27 de Abril.
O presidente do júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes explicou que o rigor na análise das propostas permanece, pois os especialistas têm conhecimentos das várias classes, tendo afirmado que as disciplinas de natureza colectiva são as mais difíceis de ajuizar.
O regulamento admite também a distinção, a título póstumo, pelo conjunto geral da obra ou carreira de um determinado autor ou criador. São premiadas obras nas modalidades de Literatura, Artes Plásticas, Teatro, Música, Cinema e Audiovisual, Investigação em Ciências Humanas e Sociais.
Sendo de periodicidade anual, a avaliação começa a partir de 12 de Novembro de cada ano, e termina em Setembro do ano seguinte. Em Outubro o júri   anuncia os laureados, enquanto a outorga de Diplomas e da Estatueta ocorre na noite do dia 10 de Novembro,  véspera dos festejos da Independência Nacional.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA