Cultura

Júri trabalha arduamente na escolha dos melhores

O júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes (PNCA), edição 2017, está a trabalhar arduamente na selecção das melhores e mais recentes criações produzidas pelos angolanos entre Novembro de 2016 e Outubro desde ano.

Prémio tem como objectivo incentivar a criação artística
Fotografia: Eduardo Pedro|Edições Novembro

 Reunido na sua VI sessão de trabalho realizado na quarta-feira, nas instalações do antigo Ministério da Cultura, em Luanda, sob presidência do antropólogo Virgílio Coelho, o júri do PNCA está a trabalhar em contagem regressiva, uma vez que tem 30 dias para concluir e entregar ao Ministério da Cultura o seu relatório.
Segundo uma fonte do júri, depois da entrega do relatório no dia 30 deste mês, o Ministério da Cultura analisa e avalia o mesmo antes de submete-lo a aprovação do Conselho de Ministros. Depois é tornado público os resultados finais, com os nomes dos vencedores da mais importante distinção de Cultura e Artes do país, que tem como objectivo incentivar a criação artística e cultural, bem como a investigação cientifica no domínio das ciências humanas e sociais. 
A gala de consagração dos vencedores do PNCA 2017 está agendada para o mês de Novembro, em local a indicar pela comissão organizado do concurso. Os membros do júri do prémio foram nomeados em mês pelo Despacho n.º 163/17 da ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, tendo como presidente e um vice-presidente, Virgílio Coelho e Isabel André, eleitos por unanimidade pelos membros do júri.

Tempo

Multimédia