Cultura

Kazucuta abre desfile do Carnaval em Luanda

Mário Cohen

Ao som da kazucuta  abriu ontem na Nova Marginal de Luanda a maior festa cultural do país, com a competição provincial do Carnaval.
À semelhança de Luanda, as 17 províncias do país também fizeram desfilar ontem os seus grupos infantis.

Cor e alegria marcaram a abertura do desfile infantil do Carnaval em Luanda
Fotografia: Dombele Bernardo|Edições Novembro

Durante o desfile central na Marginal da Praia do Bispo, os grupos do Hoji ya Henda e do Sambizanga receberam fortes aplausos dos espectadores.
O desfile começou às 17 horas, com o grupo Cassules Fogo Negro, do Talatona, e terminou às 20h30 com a exibição dos Cassules Geração Sagrada Esperança, do Rangel.
O forte aplauso dos foliões  à passagem dos grupos infantis demonstrou, uma vez mais, que o Carnaval é em Angola a maior manifestação cultural. Nas bancadas, a  aplaudir, também estavam o governador provincial de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho,  e a Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço. A ginga e a cadência dos passistas infantis deixaram claro que está garantido o futuro do Carnaval de Luanda. A passagem do testemunho está a ser bem feita. O Carnaval, ao som do batuque e do kissanje,  vai continuar a proporcionar uma verdadeira festa de cor, luz e alegria, atraindo milhares de pessoas.
Os grupos do distrito urbano da Maianga apresentaram uma coreografia de se lhe tirar o chapéu, com destaque para o Cassules 54, Cassules 10 de Dezembro e Cassules Jovens da Cacimba,  atestando as razões de terem sido classificados nas primeiras posições em edições anteriores do Carnaval infantil.
O Cassules Jovens da Cacimba exibiu-se com a canção “Homenagem aos cantores infantis dos anos 80”, recordando  Mamborró, Yuri da Cunha, Lucas de Brito “Maya Cool”, Ângelo Boss e Isidora Campos. 
O Cassules Mundo da Ilha, com a canção de  Tonicha Miranda, foram à Marginal da Praia do Bispo mostrar que são da área e querem disputar os lugares  cimeiros.
Os Cassules Jovens da Cacimba inovaram na indumentária, tendo acrescido aos tons rosa e vermelho dos chapéus e blusas, as cores amarela e castanha de tecido africano, enquanto o Cassules  Kazucuta do Sambizanga deixaram os trajes de cor preta para se apresentarem de cores mais vivas, com guarda-chuvas de tons bege e cinza e roupas branco e vermelho.
O grupo Viveiros do Njinga Mbandi, de Viana, vencedor da edição passada, também deu o ar da sua graça, com a execução da dança cabecinha. Foram espectaculares os requebros de cintura de forma trémula, produzindo um expressivo e cadenciado movimento corporal.
Hoje, a partir das 17 horas, desfilam os adultos da classe B, com o grupo União Kazucuta do Sambizanga a abrir o acto,  seguido do Unidos do Zango. O desfile encerra com o grupo União Twabixila, de Viana.

Tempo

Multimédia