Kilandukilo defende mais apoios


2 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Dombele Bernardo

O presidente do Ballet Tradicional Kilandukilo defendeu, em Luanda, mais apoio à dança, por parte da classe empresarial, com vista a desenvolver cada vez mais esta arte.

Em declarações à Angop, Manuel Vieira Dias admitiu que, nos últimos anos, a dança não tem evoluído por falta de apoio para pesquisas, compra de materiais e carência de espaços para exibições. “Devido a falta de apoio, a dança tem passado por algumas dificuldades”, reforçou.
Uma maior aposta dos empresários ao sector da dança pode contribuir mais para o seu desenvolvimento e melhorar o nível de pesquisa e divulgação dos vários estilos existentes no país. Segundo o presidente do Kilandukilo, existem bons grupos de dança, o problema é a falta de apoio para se apresentarem com mais frequência. Enalteceu o apoio institucional que o Ministério da Cultura tem dado aos grupos, para que a dança continua a evoluir.
O ballet Kilandukilo, que significa divertimento na língua quimbundo, foi criado por jovens apreciadores da arte, em especial da dança e da música folclórica.
O colectivo tem como objectivos a pesquisa, recolha e estudos das manifestações culturais do povo angolano, da dança folclórica, rituais fúnebres e de guerra, bailados recreativos e de salão.
Fundado no dia 15 de Março de 1984, no Bairro Maculusso, na cidade de Luanda, o Ballet Tradicional Kilandukilo começou com os “Cassules do Maculusso”, grupo de Carnaval que proporcionava aos jovens a possibilidade de exibirem as suas habilidades artísticas na dança.
A primeira designação foi a de “Grupo experimental de dança tradicional kilandukilo”, com jovens dos 14 aos 17 anos, formação que se  apresentou, pela primeira vez, no Centro Cultural e Recreativo Gajajeira, no bairro Marçal, em 1984. A grande  exibição, enquanto grupo com alguma solidez criativa, aconteceu, em 1985, na Liga Nacional Africana. A mudança para  Ballet Tradicional Kilandukilo, ocorreu, em Setembro de 1995, com a apresentação de dois espectáculos no Cine Teatro Avenida, com a obra “Dança do Galo”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA