Kiluanji é pensador global


21 de Novembro, 2014

Fotografia: DR

O fotógrafo Kiluanji Kia Henda acaba de ser anunciado em Washington DC como um das 100 principais pensadores globais de 2014 (Leading Global Thinkers of 2014) pela revista norte-americana ''Foreign Policy''.

Os editores desta revista norte-americana de relações internacionais elegeram Kiluanji Kia Henda como uma das 100 mais relevantes intelectualidades públicas mundiais deste ano, baseando-se no seu proeminente trabalho ao longo do último ano e na capacidade de traduzir ideias de relevo na acção transformadora e modeladora do mundo.
A eleição realizou-se sob o lema “For Deconstructing Western Aid to África”.
Com o trabalho “O.R.G.A.S.M.”, fotografia e instalação de objectos, datado de 2011, Kiluanji elabora uma crítica, através de uma visão irónica e satírica, às Organizações Não Governamentais (ONG) ocidentais, cuja acção e intervenção reforçam o discurso ocidental e a representação mediática de África como o continente das trevas, das doenças e da pobreza.
Nessa óptica, “O.R.G.A.S.M.” (Organisation of African States for Mellowness) é uma ONG africana imaginária que distribui ajuda ao desenvolvimento do Ocidente, distorcendo as expectativas sobre quem necessita dessa intervenção e criando, através da desmontagem humorística dessa actividade, uma afiada apreciação das dinâmicas do poder, dos assuntos raciais e das relações internacionais.
De Fevereiro a Maio do próximo ano, o fotógrafo vai participar na Trienal do New Museum de Nova Iorque, na qual vai apresentar a obra “Rusty Mirage”, parte de uma série de trabalhos realizados na Jordânia e nos Emiratos Árabes Unidos este ano.
A Trienal do New Museum, que já vai na terceira edição, é a única iniciativaperiódica internacional em Nova Iorque dedicada ao trabalho dejovens criadores, este ano sob o título “Surround Audience”.
Está edição conta com a presença de 51 artistas individuais e colectivos de artistas de 51 países, uma geração emergente que está a moldar o discurso da arte contemporânea, enquadrando-se no compromisso de 37 anos do New Museum de explorar o futuro através do presente. Kiluanji Kia Henda nasceu em 1979 em Luanda. Vive e trabalha entre Lisboa e Luanda. Artista autodidacta, participou na I.ª Trienal de Luanda (2006), na ZDB (2007) em Lisboa, no Black Projects  (2008) na Cidade do Cabo, com bolsa do Conselho de Artes Suíço Pró Helvetia e da Agência Suíça para o Desenvolvimento e a Cooperação e III.ª Trienal de Guangzou (2008), com apoio da Fundação Sindika Dokolo.
Desde 2007 realizou as mostras individuais: “NewMan” (2013), em Kunstraum Innsbruck, na Áustria; “TransIt” (2010), na Galeria SOSO, em São Paulo; “Self-portrait as a whiteman” (2010), na Galeria Fonti, em Nápoles; e “Portraits from a Slippery Look” (2008), no Instituto Goethe, em Nairobi. Desde 2005 participou em diversas exposições colectivas, com destaque para “Tomorrow Was Already Here” (2012),no Museu Tamayo, na Cidade do México; “Super Power: África in Science Fiction” (2012) no Centro de Arte Arnolfini, em Bristol (Inglaterra); “Other PossibleWorlds - Proposalsonthisside of Utopia” (2011) no NGBK, em Berlim; “Propaganda By Monuments” (2011) no Centro de Imagem Contemporânea, no Cairo; “Thereisalways a cup of sea to sailin” (2010), na 29.ª Bienal de São Paulo; e “Luanda Pop - check list” (2007), na 52ª Bienal de Veneza, Pavilhão Africano.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA